31 de jul de 2018

Armazém do seu Brasil e Ateliê 1


Coletivo do Atelie 1 - Ramon Alejandro e convidados
 
Posentão...
            Há cinco anos tive o primeiro acesso às coisas do Ateliê 1 quando conheci o artista plástico Ramon Alejandro. A parceria resultou numa bela obra que homenageou um docente da UFRGS, ciclista atropelado, nas ruas de Porto Alegre.
            De lá pra cá passei a frequentar o espaço de arte na condição de apreciador e amigo. Em 2015, surgiu o convite para realização de um Sarau temático onde pude conversar com as pessoas presentes sobre samba e Cultura Popular. Na oportunidade, estive presente com um sambista amigo, Carlinhos Presidente, o músico Carlos Henrique e o casal de passistas carnavalescos Chris Rafa e Nicole Cordeiro. O ambiente decorado por arte plástica, aroma de tinta e utensílios do cenário do Armazém do seu Brasil.
           Em 2017, fui presenteado pelo artista plástico Alejandro e um grupo de pintores do Ateliê, com uma obra alusiva ao Armazém. Uma tela que retratava uma roda de samba composta por entusiasmados homens e mulheres envolvidos pela energia do ritmo mais brasileiro de todos os tempos.
           O ano de 2018 reservava ainda mais surpresas boas. Recebi um convite da direção do Ateliê para junto a outros novos associados agregarmos nossas energias, forças e trabalho em nome da proposta coletiva de reunir GENTE que gosta, que faz, que vive, que respira e respeita a ARTE em suas diferentes formas.
           Faltava alguma coisa em nossas mentes? Acredito que não. Ao sermos acolhidos pelo Ateliê 1 ganhávamos elementos para enfrentar “o cinza” dos tempos modernos e colorindo com tintas, manuseando argilas, cerâmicas, textos, ferramentas e idéias na busca de dias mais  leves em nossas vidas.

                         Por Edinho Silva – radialista, blogueiro e gestor desportivo e de lazer

  

 

30 de jul de 2018

Mais um pouco de Adriano Trindade....




                                                               acervo pessoal do artista
 
 
Posentão...

            Outro dia postei uma resenha sobre meu parceiro Adriano Trindade que atualmente mora na Polônia e circula pela Europa divulgando sua obra autoral e clássicos da MPB.

Na postagem divulguei que o moço, natural de Canoas, colocou algumas roupas na mala, passou a mão no violão e na companheira e seguiu Mundo afora.

Corrigindo um pouco as informações registro que o moço que desbrava e percorre os lugares mais diferentes planeja criteriosamente suas excursões e apresentações. Questionado sobre quem organiza sua agenda pessoal e quanto custa tal serviço? ELE costuma responder da forma mais natural que, nada é por acaso e tampouco, destino ou sorte. É trabalho duro, mesmo.

Para concretizar seus sonhos e buscar espaços com sua música o trabalho é árduo e organizado. Para a realização da tour internacional em 2005, por exemplo, com a antecedência de um ano já havia mapeado os locais que iria percorrer e agendado 45 apresentações e workshops na Nova Zelândia.

Como podemos chamar isso? “De quina pra Lua”? Claro que não. É Gestão de carreira, é percepção e ousadia. E muito planejamento e trabalho pesado. E a recompensa disso tudo? Posso definir num relato de um diálogo do Adriano Trindade com um dos seus contratantes ao ser questionado como havia chegado à cidade num cantinho da República Tcheca? “A explicação é simples, não faz menor sentido tocar apenas nas capitais, ou nas grandes cidades, eu também vou lá, eu também gosto, mas o brilho nos olhos das pessoas que recebem um artista em uma cidade menor é incrível, e normalmente em termos financeiros é muito melhor também, além do acréscimo cultural que se agrega para si.” Respondeu o artista.

Que tua caminhada seja de muito sucesso, meu caro swing man!!

Música boa do Perú, em nossa casa. Vamos??

         Miguel Ballumbrosio - Agosto - Acervo UNIMÚSICA 2018    
 
 
          Posentão...
 
         A edição do Unimúsica/UFRGS - 2018 apresenta uma proposta requintada, enérgica e ousada aos amantes da boa música latino americana. O título "Tímpano, témpano. Tiempo, tempo" apresenta um seleto cast de artistas latino americanos representantes dos países como Argentina, Chile, Uruguai, Colombia e Venezuela.
         Com apresentações mensais  o Projeto propõe através da produção de músicos jovens, porém comprometidos com toda a herança musical e artística que pouco a pouco se vai desvelando, a partir de diferentes instrumentos, sons, ritmos, linguagens e saberes culturais.
         No texto de apresentação do Projeto a PROREXT apresenta o seguinte ..."O uruguaio Joaquín Torres García publicou, em 1936, a primeira versão de seu mapa da América do Sul “invertido”, recordando que não há como dizer o que está “em cima” ou “embaixo” no espaço infinito e afirmando que nosso norte é o Sul." E finaliza afirmando que "...El tiempo-historia, que nos une en el origen y en el futuro, lo unimos con el tempo-música en este presente." por Benjamim Taubkin/Demétrio Xavier/Leonardo Croatto/Lígia Petrucci.
        Na edição do mês de agosto, a música afro-peruana estará representada pelo músico  Miguel Ballumbrosio, percussionista e zapateador, se filia de modo literal a essa tradição. Filho de Amador Ballumbrosio, uma das maiores referências da cultura afro-andina do Peru, Miguel tem se dedicado a manter vivo o legado de seu pai, difundindo e inovando os ritmos e danças tradicionais como el festejo, el landó y la zamacueca. Fazendo uso de caixas simples – o mundialmente conhecido cajón – ou mandíbulas de animais mortos – a quijada – o pueblo afro andino peruano inventou novas formas de fazer música.
         Mesmo que a cena musical afro-peruana  ainda seja pouco conhecida em todo o Mundo, sua resistência demonstra um poder e uma vitalidade que remontam séculos e tem suas raízes nas sonoridades produzidas pelas comunidades de escravos negros. 
          Meus ingressos já estão garantidos. Tu vais perder?
    
 
Serviço:
Data: 02/08
Horário: 20h
Local: Salão de Atos UFRGS (Av. Paulo Gama, 110)

Retirada de senhas através da troca de 1kg de alimento não perecível por ingresso. 2 ingressos por pessoa.
Sala 4 do ILEA (Campus Vale) toda segunda-feira anterior ao espetáculo, das 9h às 17h.
DDC - Mezanino do Salão de Atos (Campus Centro), da segunda-feira ao dia do espetáculo, das 9h às 18h.

20 de jul de 2018

Dia do amigo - Afinal, quando é ?






Posentão...

No mínimo, três datas circulam nas redes sociais e no comércio festejando o Dia do Amigo. Em tempos de SENTIMENTOS LÍQUIDOS todo o zelo e cautela é pouca para afirmar nossas relações de amizade.
O Facebook mesmo, nos aponta dezenas, centenas, milhares de amizades para todos os lados. A comunicação moderna cumpre sua parte com os tais "TMJ" (Tamo junto) ou até mesmo o "É NOIS, Queiroz". Mas o que significa isso? Que NUNCA ESTAREMOS SOZINHOS?? Que nada!
A realidade é completamente diferente. Nos momentos mais difíceis da vida nos deparamos com uma solidão não desejada. Duvida? Então confere comigo...Reencontras mais teus amigos de infância em dias de votação ou em velórios de pessoal da época? Nas urnas, né? Isto quando não trocamos de domicílio eleitoral para não voltarmos às ruas que nos trazem lembranças. Se alguém me perguntar se troquei o meu título? Não mentirei, EU TROQUEI. Para minha facilidade de deslocamento neste dias. O que AFIRMO é que, mantive foi o carinho e afeto às pessoas que marcaram parte da minha vida, minha infancia e minha adolescencia. "Tá, Edinho...então teus amigos são apenas as pessoas que cruzaram neste etapa?" Lógico que, não.
Vamos agregando na caminhada "pedaços e fragmentos" que podem perfeitamente serem considerados amigos. Costumo dizer, em algumas falas nos Saraus do Armazém que "POSSUO AMIGOS de 50 anos e de 50 minutos" e assim deve ser. ACREDITO pelo menos.
Então, nosso amigo pode ser o pai, o filho, o vizinho, o cunhado, o aluno, o professor, o médico, o policial da viatura encostada, o pintor de tela ou de parede, o médium do Centro espírita, a vovó Maria (benzedeira), o monge, a tia do cafezinho, o tiozão flanelinha. O grande lance da vida  TALVEZ NÃO SEJA ACUMULAR "amizades" e 'contatinhos" como dizem os mais jovens.
Na real o grande  DESAFIO  é exercitar a EMPATIA, TOLERANCIA, SOLIDARIEDADE, RESPEITO E AMOR (de verdade).
Recado final: Não me chamem de "irmão" se não me abraçam. Não me falem de saudades se não ligam para meu telefone ou para minha casa querendo saber como estamos EU e minha familia. Não coloca postagem "melada" ou curti minhas coisas nas redes sociais SE NÃO COMENTA com DUAS OU TRES PALAVRAS o que acabou de ler. Sabe por que?? Nem leu até o final, o que escrevi.
Tá bem..fico feliz se estiver incluído nas suas orações. Mas, não MENTE pro véio...É feio!! E dinheiro emprestado?? Nem te atreva...afinal não tenho e de algum lugar irei tirar para te alcançar. Fica ligado.
Beijocão na turma...

Escolhi a trilha do Lenine e seu filho João...Homenagens a dois grandes amigos que tive na vida: dona Carminha e seu Baixinho

https://www.youtube.com/watch?v=T-t-wLa7XHQ

9 de jul de 2018

Convidados ilustres colorindo o Armazém - que "tales"?



Posentão...

Muito feliz ao perceber que o NOSSO ARMAZÉM rumou para diferentes e frutíferos caminhos. Um destes foi deparar-me com muitos parceiros legais. Por este espaço já circularam vários convidados especiais com seus textos.
A partir de agosto, mensalmente, teremos dois convidados ilustres com seus textos, suas reflexões, suas emoções e seus conceitos. E as temáticas?? Temas livres, transitando por Cultura Popular, filosofia, lazer, artes, música, estórias de gente, entre outros assuntos.
Na estréia da participação das duplas "provoquei" meus parceiros Leno Bueno, o sambista e compositor, pesquisador de samba e maior estudioso da obra do Beto sem braço no RS e o geógrafo Arthur Bloise, outro "pensador" da Cultura e das Manifestações Populares do Brasil para apresentarem alguns de seus textos e pensamentos.
E assim "colorir nosso ponto de encontro".
Como escrevi no título "que tales" o experimento?
Eu já gostei antes da estréia...

20 de jun de 2018

"Cê" gosta de fotografias? Confira as imagens das "flor"...

           


             Posentão...

             Em meio a tanta coisa bacana que rola na direção do Armazém do seu Brasil a novidade fica por conta do reforço na equipe de comunicação de nosso Coletivo Cultural. A partir de agora, além do "retratista" colorado Régis Venturela a equipe de imagem ganha o reforço da "retratista" tricolor Sandra Rodrigues.
             Com talentos e cores clubísticas distintas, ambos possuem sintonia em alguns aspectos. Os dois "juram" que fotografam por hobby e puro prazer. EU particularmente, duvido bastante. Já conheço a sensibilidade e percepção de cada um em trabalhos desenvolvidos em outras oportunidades. O Régis anda buscando inspirações e a Sandra, neste momento, apresenta seu trabalho, na companhia de outros colegas fotógrafos, na Mostra NOUTROS JARDINS, de 15 de junho a 20 de julho de 2018. O acesso é 0800, num espaço de arte bem bacana e os resultados compensam a visitação.
             Você que aprecia imagens diferentes apareça e confira. E quanto aos "retratistas" não se acanhem. Junte-se a nós, também.
             No próximo dia 27 de julho de 2018, sexta-feira, a partir das 19h30min, na Cia de Arte, os dois "retratistas" registrarão a roda de samba temática "Armazém do seu Brasil em tempos de Seleção Brasileira". Muitas atrações, entre elas a primeira exibição pública da tela produzida pelo artista plástico Ramon Alejandro Velazco (Ateliê 1 - Coletivo de artistas) e seu time.
              O SAMBA, a Cultura Popular e a arte captada pelas lentes dos amigos agradecem.  






15 de jun de 2018

Novas janelas dando espaço para o Sol

                               O de camiseta verde é o Milton Manhaes e de camiseta rubra é o Marcos Salles
                                                                                     Imagem do acervo pessoal: Marcos Salles

Posentão...

              A imagem acima representa um registro do encontro de grandes produtores musicais da música brasileira. O seu Milton Manhaes, para quem não sabe foi o produtor e arranjador musical de grandes nomes do samba no Brasil como: Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Jovelina Pérola Negra  e tantos outros. Recentemente, em 2017, assinou a produção musical de um trabalho autoral do sambista gaúcho Carlinhos Presidente.
            O Marcos Salles (o da direita na imagem), inquieto jornalista, músico, produtor cultural, biógrafo e sei lá mais o que? Ia esquecendo...dizem as boas línguas, que foi um dos músicos integrantes da primeira formação musical do sambista Jessé Gomes da Silva Filho, nome de batismo de Zeca Pagodinho. Ambos de uma grande escola brasileira de produtores musicais que o Brasil formou nas últimas décadas.
            Em 2017, o Marcos Salles a convite da jornalista Vera Daisy Barcelos, amiga em comum e assessora de imprensa do grupo de samba gaúcho Puro Asthral o convidou para vir à Porto Alegre para dirigir show do grupo numa sala de teatro da capital gaúcha. Na famosa Casa de Cultura Mário Quintana.
            Na oportunidade, tive o prazer de conhece-lo pessoalmente e registrar o apreço pelo seu trabalho biográfico sobre a FAMILIA DINIZ (seu Monarco da Portela, seus filhos Mauro e Marquinhos Diniz, e netos Juliana , Theresa e João Matheus), intitulado  "Família Diniz – Um Coração Azul e Branco“.
             Nossa conversa alongou-se e consegui apresentar-lhe algumas postagens do Armazém do seu Brasil, meu blog cultural. Resultado disso? Um convite para uma parceria bem bacana. Em 2018, o "carinha", produtor musical Marcos Salles lança pro mundo seu novo blog "Causos e canções" que apresentará resenhas e estórias envolvendo a música brasileira em suas diferentes regiões. E sabem qual outra notícia boa? O Edinho Silva, do Armazém do seu Brasil, direto de Porto Alegre será responsável por uma postagem semanal no informativo  "cheio de grife". É pouco? É muito? É TUDO!!
             Com a estréia prevista para o dia 20/06/2018, reservou a próxima terça feira, dia 26/06/2018, espaço para minha postagem. Assim sempre às TERÇAS-FEIRAS teremos o prazer em compartilhar "algumas coisas" referentes à música do RS, seus diferentes ritmos, seus cantores, suas cantoras, seus instrumentos e curiosidades.
            Com o suporte de produção literária do grupo liderado pelo professor Marcelo Spalding www.metamorfosecursos.com.br  seguirei vibrando por um bom tempo a oportunidade de aproximação de coisas legais em nome da Cultura Popular e de Gente Brasileira.
            Confirmando a frase do caminhão de um amigo: "Quando achamos que uma porta se fecha, bem perto outras janelas, escancaram-se." MUITO obrigado, Marcos Salles, pelo novo desafio. 
       
Abração a todxs e boas leituras,
 
Edinho Silva, do Armazém