8 de mai de 2014

Pausa na alegria - Vá em paz Jair Rodrigues!!!




           É triste escrever sobre morte. Mais doloroso é escrever sobre alguém que representava energia, simplicidade, amor em família, talento musical e outras coisinhas. Falo de Jair Rodrigues, falecido há poucas horas, com infarto fulminante.
           Fui apresentado ao Jair Rodrigues e sua música pelo "seu Baixinho", meu querido pai - Edison Rodrigues. Foi ELE quem me mostrou uma gravação de vinil do clássico de Pixinguinha - Carinhoso na voz inquieta do Jair. Amigo de Elis Regina, sujeito brincalhão, muitas vezes polêmico, porém sempre de bem com a vida, segundo relatos do meu sogro que foi seu "padrinho cultural" nos anos 70 numa incursão pelas ruas de Porto Alegre.
           Por que lembrei do meu pai quando li a noticia da  morte do Jair?? Simples. Embora não cantasse, não tocasse nenhum instrumento, meu paizinho era demasiadamente parecido com o cantor falecido. Sabem qual a semelhança?? O afeto e a proximidade com seus filhos. As imagens que vinhamos do Jair em convívio com a família, sua mulher Clodine, Jairzinho, Luciana, genro, nora e netos são sempre as mais vibrantes. Estar na companhia dos filhos era uma verdadeira festa. E é desta forma que relembrarei por muito tempo do cara da inesquecível canção "Disparada" e outras tantas.
           O cara partiu não sendo nenhum santo, mas tampouco, demônio. Sujeito simples e de bem com a vida. Precisa mais??
Abraços a todos,

Edinho Silva


https://www.youtube.com/watch?v=tguZUhiAT8M