28 de nov de 2013

E viva o TAMBOR do ALABÊ ÔNI...

           
        
 
            Ao iniciar a primeira batida no couro e o rufar dos tambores do energético quarteto formado nas ruas, nos terreiros e nas praças de Porto Alegre o Centro da Cidade ganhará um novo formato. Um jeito de Brasil, com cheiro de Angola, uma essência de Africana com a fidalguia e gingado de Pelotas, a malemolência da Restinga com os trejeitos do Maranhão (e por que não do Uruguai?). E assim será...com as bênçãos do Princípe Custódio e todos os tambores espalhados pelo mundo.
            Pois a avenida Alberto Bins não será mais a mesma depois de sexta-feira, 29/11/2013. A partir das 20h, no aconchegante espaço do Teatro do SESC acontece o show de lançamento oficial do DVD Alabê Ôni, em única apresentação.
            Ao longo de 2013 o grupo viajou por todos estados do norte, nordeste e centro-oeste do país no Projeto Sonora Brasil. Em 2014 percorrerá todos estados do sul e sudeste mostrando a presença negra no estado do RS através dos tambores e cânticos religiosos. Gravado no primeiro semestre deste ano, o DVD Alabê Ôni mostra conteúdo de matriz africana ancestral do estado do RS constituído de Batuque de Nação Oyó Idjexá, Maçambique, Quicumbi e Candombes, sempre tocados com tambor de sopapo. No repertório, cantos gaúchos ancestrais e religiosos de domínio público.
            No palco, Pingo Borel, Mimmo Ferreira, Kako Xavier e Richard Serraria. No show haverá ainda a participação especial da cuerda de candombe La Uruleyra e Clarice Moraes (bailarina).
             Eu e a Karol Venturela e mais umas dezenas de amigos vamos. E tu?? Vai ficar ouvindo a batida do tambor de longe??
             Aparece lá.

                             Edinho Silva

Ou acessa: http://alabeoni.blogspot.com.br/

A COISA TÁ PRETA...e dai?? Chega mais perto e confere



           Ousadia, sensibilidade, bom gosto e refinamento. Esta é a definição mais apropriada para a publicação que chega no mercado editorial. Hoje, confesso que foi um pouco difícil guardar segredo para "guardar a quatorze chaves" a notícia sobre a revista "A COISA TÁ PRETA". Não entenderam nada, né?? Pois, tive o prazer de ser convidado pelas jornalistas Thais Silveira e Renata Lopes, na companhia da administradora e gestora de negócios Cintia Bicca para junto das coisas do Armazém do seu Brasil me agregar neste projeto especial que se transformou em revista.
           Com uma tiragem trimestral de 10 mil exemplares, a publicação será distribuída em Universidades, Clubes, Sociedades, Instituições Públicas e Privadas, Escolas de samba, redutos culturais, Escolas de músicas, lugares públicos de circulação de pessoas, Estabelecimentos de ensino e por onde cruzar pessoas contagiadas em difundir de forma contextualizada e com enfoque positivo a história e cultura da população negra. "Com a representatividade negra atingindo estimados 50% da população brasileira é fundamental incentivar a visibilidade dos negros ao destacar referências em áreas diversas como: cultura, beleza, literatura, empreendedorismo, história, turismo, entre outros", enfatizam as editoras Thais e Renata.
             E assim como ficar de fora de uma função desta grandeza e de outras parcerias entre a Coisa tá preta e o Armazém?? Não dá, né??
              Então sintonizarei meu rádio e chamarei seu João do Brasil, Tianinha, dona Morena, doutor Totonho, os demais personagens e todos os amigos do Armazém e me jogarei para o evento. Água de cheiro nos punhos, manga da camisa dobrada, a pomada preta no sapato, a agenda com os contatos dos amigos na mão e o Tony Tornado berrando no ouvido.
Vamos??

Edinho Silva

 http://www.youtube.com/watch?v=cN-NSLBOrvw