23 de jun de 2015

A irreverência sobe nos palcos da "Acadimia" - Unimúsica 2015



foto: Felipe Diniz


                    Nem tudo está perdido. Em meio a tantas notícias que chegam diante de nossos olhos e ouvidos. Muitas delas nem tão simpáticas assim, a PROREXT/UFRGS e seu Departamento de Difusão Cultural apresenta o Projeto Unimúsica. O desafio de apresentar novidades a cada ano que chega foi contemplado. Se em 2014, no ano em que a Universidade completou 80 anos a agenda foi de primeira linha, em 2015 a qualidade e ousadia manteve-se. Na edição deste ano sob  o título de "Os irreverentes", de forma gratuita, mensalmente chegam no palco do Salão de Atos da Reitoria nomes emblemáticos da irreverência nacional. Na abertura com show de Arrigo Barnabé, em junho, já foi possível ter uma prévia do que acontecerá ao longo do ano. A seleção apresenta nomes para todos os gostos em entrevistas e concertos: Jards Macalé, Wander Wilder, o negro gato Luiz Melodia, Carlos Careqca e o retumbante Tom Zé, na despedida do Projeto.
                  Como anuncia na apresentação do Projeto a coordenadora e curadora do Unimúsica, Lígia Petrucci, a proposta busca propor uma forma transgressora da arte, provocando o pensamento livre e a crítica social através do trabalhos dos artistas escalados "...Nesta segunda década do século 21, parte do mundo assiste, com assombro, a um inimaginável ressurgimento de movimentos de extrema direita e ao recrudescimento de preconceitos e sectarismos de toda ordem. Junto a isso podemos perceber também um certo desgaste da política em suas formas convencionais e uma hipermercantilização de inúmeros aspectos da vida...". Esta proposta, segundo a coordenadora visa a "CELEBRAÇÃO DA INQUIETUDE, O HUMOR E AS BOAS PROVOCAÇÕES".
                   Num outro comentário do jornalista, estudioso e craque na crítica musical, Juarez Fonseca fica evidente a lucidez na proposta no atual momento que vivemos "...  Pelo que temos visto na "mídia", ser irreverente hoje é ser grosseiro, vulgar, brega, ignorante, ridículo, sem graça, boiola, palhaço no mau sentido, bobão, vazio. Talvez precisemos de outra palavra para classificar os "irreverentes" do Unimúsica, pois não se encaixam em nenhuma dessas. Em todos vemos inteligência, crítica com sentido político-social, visão aguda da realidade brasileira e do mundo, humor ácido - mas não desprovido do palhaço no bom sentido, divertido ma non tropo." Juarez Fonseca

             Receita boa, não??  Então te agenda aí...e te joga num baita programa cultural. Melhor que isso, só se fosse 0800...Putz, é de graça! Então tá bom demais!!!
Vem comigo...

Edinho Silva

PROGRAMAÇÃO:  
 
CONCERTOS
11/06 - Arrigo Barnabé
02/07 - Jards Macalé
06/08- Wander Wildner
03/09 - Luiz Melodia
22/10 - Carlos Careqa
05/11 - Tom Zé


http://www.ufrgs.br/difusaocultural/projeto.php?id=183

A batucada que mistura Brasil e Argentina - Seu nome: Ariel Orfano LOPEZ




               De união entre um homem argentino simpatizante de um bom tango e uma brasileira "sambista da gema", presença marcante em escolas e shows de samba dos anos 90 só poderia resultar filhos apreciadores de uma boa batucada. Estou falando do músico, arranjador, estudioso e percussionista Ariel Orfano Lopez. Sua data de nascimento, suas preferências na gastronomia, suas paixões, sua familia os leitores saberão quando for publicada sua biografia. Agora pode...
               Por hora reservo algumas informações que considero muito interessante para a proposta cultural, informativa e de entretenimento que se propõe o Armazém do seu Brasil. Pois, este cara foi apresentado por um amigo em comum - Didi Ferraz, durante um evento cultural promovido por uma Seção Sindical de Porto Alegre. Aguardando ansioso a chegada do músico Didi, o violonista e vocal, estrela maior do evento, avisto na sua companhia um jovem carregando duas enormes bolsas contendo inúmeros instrumentos de percussão. O "seu Ariel" não brinca em serviço. Quando sai para o trabalho, leva todos os "brinquedos percussivos" que puder.  
               Enquanto esperávamos o início da apresentação musical conversamos animadamente sobre vários assuntos (lógico que grande parte deles envolvendo música, arte, cultura e gente). Fiquei conhecendo um pouco de sua trajetória, que transitava pelos mais diferentes ritmos brasileiros e latino americanos. No seu currículo profissional tem registro de tudo - já tocou em Escola de Samba, conjunto nativista, banda de forró, grupo folclórico, música pop e rock, salsa...é clinica geral mesmo. E os professores e inspiradores!! Na maior humildade, já tomou aulas dos mais consagrados professores gaúchos: do falecido Nery Caveira, do Fernando do Ó, Giovani Berti e de outros tantos.                  Pelo Brasil, também conheceu muito professor bacana.
Num outro dia, circulando pelas ruas do Centro de Porto Alegre nos reencontramos ocasionalmente e tomamos um café para colocar o assunto em dia. Nesta conversa conheci um pouco mais sobre o cara. Suas andanças e domicilio por São Paulo e suas experiências com a música do Nordeste. Sua incursão no novo mundo sertanejo. Suas pesquisas e projetos no "Contexto percussivo latino americano e mundial". Provoquei o moço, perguntando se por ser filho de argentino com brasileira misturava samba com chacarera!! Lógico. Respondeu e faço muito mais. "Tento me organizar para prosseguir meus estudos academicos, aperfeiçoando-me nos ritmos latimos americanos".
Esta é um pouquinho da história do cara que é amigo dos amigos e grato por todas as oportunidades que a vida lhe oferece. Em meio a tantas viagens, shows, palcos e cachês recorda de forma emocionada e grata, o afago solidário de um dos grupos de samba (Sambeabá e seu líder João Marcelo) de Porto Alegre que o APOIOU em momento difícil de recuperação de um problema de saúde enfrentado no passado.
               E o que me faz escrever sobre uma figura que nem conheço tanto assim, mas identifico seu afeto e "brilho no olho" quando conversa e acolhe os amigos!! Sua sinceridade e generosidade. Se hoje, qualquer um ligar para seu telefone pedindo uma ajuda, com ou sem instrumento, falando em meu nome e nas boas risadas que demos durante o apressado café numa cafeteria do Centro. Não tenho dúvida da resposta positiva.
         Quer conhecer mais um pouco do Lopez!! Sintoniza a RÁDIO UFRGS dial 1.080 AM OU Web www.radio.ufrgs.br a entrevista do cara com o comunicador Guto Villanova, no dia 01\07, às 20h30min. O entrevistado promete falar de tudo: carreira, mercado fonográfico, mundo da música, ritmos, sonhos e novos projetos.
Eu ouvirei, com certeza.

Edinho Silva

Informação adicional: A CHACARERA é uma dança do Norte da Argentina tradicionalmente executada com bumbo leguero, violino e guitarra. A dança pode ser realizada em grupo onde os parceiros dançam livremente, circulando entre si. É uma dança de estilo brincalhão, com ritmo, agilidade e diversão festiva. A dança se espalhou em todo à Argentina nas cidades do Nordeste, como Tucumán, Salta, Jujuy, Catamarca, La Rioja e Córdoba, e quase todo o centro do país.

Fonte: http://www.amautaspanish.com/portuguese/destinos/aprender-espanhol-na-argentina/argentina-visao/festival-e-feriados-na-argentina/festival-nacional-de-chacarera-214.html


22 de jun de 2015

E as danças continuam...Ballet da UFRGS - 5 anos de pura leveza



        Com a mesma graça e leveza que ENERGIZOU o palco do Centro de eventos da FAUFRGS em Gramado, movimentando e inundando de arte e emoção a romântica cidade do Cinema Nacional, o Ballet da UFRGS comemora no próximo dia 24/06/2015, quarta-feira, às 20h, seus cinco anos de trabalho sério, disciplina e muito sucesso. O espetáculo prevê entrada franca e a participação de muitos convidados especiais.
        A noite estará fria?? Te agasalha e confere de perto a beleza do Salão de Atos reformado e comemora junto conosco esta data importante. Quase ia esquecendo!! A Ventu Produções, da Karol Venturela, apóia a função e atuará junto na produção do evento. ASSINO EMBAIXO a dica de espetáculo e a qualidade das pessoas envolvidas no evento.
Vamo??

Edinho Silva

21 de jun de 2015

Festa de São João no Armazém




         Em pleno período de festas juninas, foi sancionada na última terça-feira, 16/06/2015, em Pernambuco a "Lei da Zabumba". E o que representa a tal Lei? Uma tentativa das autoridades políticas daquela região, deputados estaduais´, estudiosos da cultural regional e popular,entre outros de promover intensamente os músicos e compositores da região em festas regionais como as de São João. O gênero musical identificado como o novo e rico sertanejo passa a ficar "com as orelhas em pé". Habituados a movimentar multidões de pessoas em seus shows, assim como todas as ferramentas  de divulgação possíveis, os artistas sertanejos bancam suas produções e carreiras "a peso de ouro", ignorando completamente as questões históricas e culturais das regiões.
         No Nordeste, acredita-se que o forró está garantido nas festas juninas da região. Em Aracajú, por exemplo, numa grande área junto ao Mercado Público ocorre a maior concentração de "forrozeiros" a festejar os santos juninos.
       Para não ficar de fora das discussões a www.radioestacaoweb.com reprisa o Especial do Armazém do seu Brasil JUNINO.  Confere lá!!! Na oportunidade de apresentação do programa a audiência e repercussão foi muito positiva.
          Abração a todos,

Edinho Silva

Fonte de pesquisa:  http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/06/1644339-contra-invasao-sertaneja-lei-da-zabumba-cria-cota-para-artistas-locais-na-bahia.shtml