31 de jul de 2018

Armazém do seu Brasil e Ateliê 1


Coletivo do Atelie 1 - Ramon Alejandro e convidados
 
Posentão...
            Há cinco anos tive o primeiro acesso às coisas do Ateliê 1 quando conheci o artista plástico Ramon Alejandro. A parceria resultou numa bela obra que homenageou um docente da UFRGS, ciclista atropelado, nas ruas de Porto Alegre.
            De lá pra cá passei a frequentar o espaço de arte na condição de apreciador e amigo. Em 2015, surgiu o convite para realização de um Sarau temático onde pude conversar com as pessoas presentes sobre samba e Cultura Popular. Na oportunidade, estive presente com um sambista amigo, Carlinhos Presidente, o músico Carlos Henrique e o casal de passistas carnavalescos Chris Rafa e Nicole Cordeiro. O ambiente decorado por arte plástica, aroma de tinta e utensílios do cenário do Armazém do seu Brasil.
           Em 2017, fui presenteado pelo artista plástico Alejandro e um grupo de pintores do Ateliê, com uma obra alusiva ao Armazém. Uma tela que retratava uma roda de samba composta por entusiasmados homens e mulheres envolvidos pela energia do ritmo mais brasileiro de todos os tempos.
           O ano de 2018 reservava ainda mais surpresas boas. Recebi um convite da direção do Ateliê para junto a outros novos associados agregarmos nossas energias, forças e trabalho em nome da proposta coletiva de reunir GENTE que gosta, que faz, que vive, que respira e respeita a ARTE em suas diferentes formas.
           Faltava alguma coisa em nossas mentes? Acredito que não. Ao sermos acolhidos pelo Ateliê 1 ganhávamos elementos para enfrentar “o cinza” dos tempos modernos e colorindo com tintas, manuseando argilas, cerâmicas, textos, ferramentas e idéias na busca de dias mais  leves em nossas vidas.

                         Por Edinho Silva – radialista, blogueiro e gestor desportivo e de lazer

  

 

30 de jul de 2018

Mais um pouco de Adriano Trindade....




                                                               acervo pessoal do artista
 
 
Posentão...

            Outro dia postei uma resenha sobre meu parceiro Adriano Trindade que atualmente mora na Polônia e circula pela Europa divulgando sua obra autoral e clássicos da MPB.

Na postagem divulguei que o moço, natural de Canoas, colocou algumas roupas na mala, passou a mão no violão e na companheira e seguiu Mundo afora.

Corrigindo um pouco as informações registro que o moço que desbrava e percorre os lugares mais diferentes planeja criteriosamente suas excursões e apresentações. Questionado sobre quem organiza sua agenda pessoal e quanto custa tal serviço? ELE costuma responder da forma mais natural que, nada é por acaso e tampouco, destino ou sorte. É trabalho duro, mesmo.

Para concretizar seus sonhos e buscar espaços com sua música o trabalho é árduo e organizado. Para a realização da tour internacional em 2005, por exemplo, com a antecedência de um ano já havia mapeado os locais que iria percorrer e agendado 45 apresentações e workshops na Nova Zelândia.

Como podemos chamar isso? “De quina pra Lua”? Claro que não. É Gestão de carreira, é percepção e ousadia. E muito planejamento e trabalho pesado. E a recompensa disso tudo? Posso definir num relato de um diálogo do Adriano Trindade com um dos seus contratantes ao ser questionado como havia chegado à cidade num cantinho da República Tcheca? “A explicação é simples, não faz menor sentido tocar apenas nas capitais, ou nas grandes cidades, eu também vou lá, eu também gosto, mas o brilho nos olhos das pessoas que recebem um artista em uma cidade menor é incrível, e normalmente em termos financeiros é muito melhor também, além do acréscimo cultural que se agrega para si.” Respondeu o artista.

Que tua caminhada seja de muito sucesso, meu caro swing man!!

Música boa do Perú, em nossa casa. Vamos??

         Miguel Ballumbrosio - Agosto - Acervo UNIMÚSICA 2018    
 
 
          Posentão...
 
         A edição do Unimúsica/UFRGS - 2018 apresenta uma proposta requintada, enérgica e ousada aos amantes da boa música latino americana. O título "Tímpano, témpano. Tiempo, tempo" apresenta um seleto cast de artistas latino americanos representantes dos países como Argentina, Chile, Uruguai, Colombia e Venezuela.
         Com apresentações mensais  o Projeto propõe através da produção de músicos jovens, porém comprometidos com toda a herança musical e artística que pouco a pouco se vai desvelando, a partir de diferentes instrumentos, sons, ritmos, linguagens e saberes culturais.
         No texto de apresentação do Projeto a PROREXT apresenta o seguinte ..."O uruguaio Joaquín Torres García publicou, em 1936, a primeira versão de seu mapa da América do Sul “invertido”, recordando que não há como dizer o que está “em cima” ou “embaixo” no espaço infinito e afirmando que nosso norte é o Sul." E finaliza afirmando que "...El tiempo-historia, que nos une en el origen y en el futuro, lo unimos con el tempo-música en este presente." por Benjamim Taubkin/Demétrio Xavier/Leonardo Croatto/Lígia Petrucci.
        Na edição do mês de agosto, a música afro-peruana estará representada pelo músico  Miguel Ballumbrosio, percussionista e zapateador, se filia de modo literal a essa tradição. Filho de Amador Ballumbrosio, uma das maiores referências da cultura afro-andina do Peru, Miguel tem se dedicado a manter vivo o legado de seu pai, difundindo e inovando os ritmos e danças tradicionais como el festejo, el landó y la zamacueca. Fazendo uso de caixas simples – o mundialmente conhecido cajón – ou mandíbulas de animais mortos – a quijada – o pueblo afro andino peruano inventou novas formas de fazer música.
         Mesmo que a cena musical afro-peruana  ainda seja pouco conhecida em todo o Mundo, sua resistência demonstra um poder e uma vitalidade que remontam séculos e tem suas raízes nas sonoridades produzidas pelas comunidades de escravos negros. 
          Meus ingressos já estão garantidos. Tu vais perder?
    
 
Serviço:
Data: 02/08
Horário: 20h
Local: Salão de Atos UFRGS (Av. Paulo Gama, 110)

Retirada de senhas através da troca de 1kg de alimento não perecível por ingresso. 2 ingressos por pessoa.
Sala 4 do ILEA (Campus Vale) toda segunda-feira anterior ao espetáculo, das 9h às 17h.
DDC - Mezanino do Salão de Atos (Campus Centro), da segunda-feira ao dia do espetáculo, das 9h às 18h.

20 de jul de 2018

Dia do amigo - Afinal, quando é ?






Posentão...

No mínimo, três datas circulam nas redes sociais e no comércio festejando o Dia do Amigo. Em tempos de SENTIMENTOS LÍQUIDOS todo o zelo e cautela é pouca para afirmar nossas relações de amizade.
O Facebook mesmo, nos aponta dezenas, centenas, milhares de amizades para todos os lados. A comunicação moderna cumpre sua parte com os tais "TMJ" (Tamo junto) ou até mesmo o "É NOIS, Queiroz". Mas o que significa isso? Que NUNCA ESTAREMOS SOZINHOS?? Que nada!
A realidade é completamente diferente. Nos momentos mais difíceis da vida nos deparamos com uma solidão não desejada. Duvida? Então confere comigo...Reencontras mais teus amigos de infância em dias de votação ou em velórios de pessoal da época? Nas urnas, né? Isto quando não trocamos de domicílio eleitoral para não voltarmos às ruas que nos trazem lembranças. Se alguém me perguntar se troquei o meu título? Não mentirei, EU TROQUEI. Para minha facilidade de deslocamento neste dias. O que AFIRMO é que, mantive foi o carinho e afeto às pessoas que marcaram parte da minha vida, minha infancia e minha adolescencia. "Tá, Edinho...então teus amigos são apenas as pessoas que cruzaram neste etapa?" Lógico que, não.
Vamos agregando na caminhada "pedaços e fragmentos" que podem perfeitamente serem considerados amigos. Costumo dizer, em algumas falas nos Saraus do Armazém que "POSSUO AMIGOS de 50 anos e de 50 minutos" e assim deve ser. ACREDITO pelo menos.
Então, nosso amigo pode ser o pai, o filho, o vizinho, o cunhado, o aluno, o professor, o médico, o policial da viatura encostada, o pintor de tela ou de parede, o médium do Centro espírita, a vovó Maria (benzedeira), o monge, a tia do cafezinho, o tiozão flanelinha. O grande lance da vida  TALVEZ NÃO SEJA ACUMULAR "amizades" e 'contatinhos" como dizem os mais jovens.
Na real o grande  DESAFIO  é exercitar a EMPATIA, TOLERANCIA, SOLIDARIEDADE, RESPEITO E AMOR (de verdade).
Recado final: Não me chamem de "irmão" se não me abraçam. Não me falem de saudades se não ligam para meu telefone ou para minha casa querendo saber como estamos EU e minha familia. Não coloca postagem "melada" ou curti minhas coisas nas redes sociais SE NÃO COMENTA com DUAS OU TRES PALAVRAS o que acabou de ler. Sabe por que?? Nem leu até o final, o que escrevi.
Tá bem..fico feliz se estiver incluído nas suas orações. Mas, não MENTE pro véio...É feio!! E dinheiro emprestado?? Nem te atreva...afinal não tenho e de algum lugar irei tirar para te alcançar. Fica ligado.
Beijocão na turma...

Escolhi a trilha do Lenine e seu filho João...Homenagens a dois grandes amigos que tive na vida: dona Carminha e seu Baixinho

https://www.youtube.com/watch?v=T-t-wLa7XHQ

9 de jul de 2018

Convidados ilustres colorindo o Armazém - que "tales"?



Posentão...

Muito feliz ao perceber que o NOSSO ARMAZÉM rumou para diferentes e frutíferos caminhos. Um destes foi deparar-me com muitos parceiros legais. Por este espaço já circularam vários convidados especiais com seus textos.
A partir de agosto, mensalmente, teremos dois convidados ilustres com seus textos, suas reflexões, suas emoções e seus conceitos. E as temáticas?? Temas livres, transitando por Cultura Popular, filosofia, lazer, artes, música, estórias de gente, entre outros assuntos.
Na estréia da participação das duplas "provoquei" meus parceiros Leno Bueno, o sambista e compositor, pesquisador de samba e maior estudioso da obra do Beto sem braço no RS e o geógrafo Arthur Bloise, outro "pensador" da Cultura e das Manifestações Populares do Brasil para apresentarem alguns de seus textos e pensamentos.
E assim "colorir nosso ponto de encontro".
Como escrevi no título "que tales" o experimento?
Eu já gostei antes da estréia...

20 de jun de 2018

"Cê" gosta de fotografias? Confira as imagens das "flor"...

           


             Posentão...

             Em meio a tanta coisa bacana que rola na direção do Armazém do seu Brasil a novidade fica por conta do reforço na equipe de comunicação de nosso Coletivo Cultural. A partir de agora, além do "retratista" colorado Régis Venturela a equipe de imagem ganha o reforço da "retratista" tricolor Sandra Rodrigues.
             Com talentos e cores clubísticas distintas, ambos possuem sintonia em alguns aspectos. Os dois "juram" que fotografam por hobby e puro prazer. EU particularmente, duvido bastante. Já conheço a sensibilidade e percepção de cada um em trabalhos desenvolvidos em outras oportunidades. O Régis anda buscando inspirações e a Sandra, neste momento, apresenta seu trabalho, na companhia de outros colegas fotógrafos, na Mostra NOUTROS JARDINS, de 15 de junho a 20 de julho de 2018. O acesso é 0800, num espaço de arte bem bacana e os resultados compensam a visitação.
             Você que aprecia imagens diferentes apareça e confira. E quanto aos "retratistas" não se acanhem. Junte-se a nós, também.
             No próximo dia 27 de julho de 2018, sexta-feira, a partir das 19h30min, na Cia de Arte, os dois "retratistas" registrarão a roda de samba temática "Armazém do seu Brasil em tempos de Seleção Brasileira". Muitas atrações, entre elas a primeira exibição pública da tela produzida pelo artista plástico Ramon Alejandro Velazco (Ateliê 1 - Coletivo de artistas) e seu time.
              O SAMBA, a Cultura Popular e a arte captada pelas lentes dos amigos agradecem.  






15 de jun de 2018

Novas janelas dando espaço para o Sol

                               O de camiseta verde é o Milton Manhaes e de camiseta rubra é o Marcos Salles
                                                                                     Imagem do acervo pessoal: Marcos Salles

Posentão...

              A imagem acima representa um registro do encontro de grandes produtores musicais da música brasileira. O seu Milton Manhaes, para quem não sabe foi o produtor e arranjador musical de grandes nomes do samba no Brasil como: Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Jovelina Pérola Negra  e tantos outros. Recentemente, em 2017, assinou a produção musical de um trabalho autoral do sambista gaúcho Carlinhos Presidente.
            O Marcos Salles (o da direita na imagem), inquieto jornalista, músico, produtor cultural, biógrafo e sei lá mais o que? Ia esquecendo...dizem as boas línguas, que foi um dos músicos integrantes da primeira formação musical do sambista Jessé Gomes da Silva Filho, nome de batismo de Zeca Pagodinho. Ambos de uma grande escola brasileira de produtores musicais que o Brasil formou nas últimas décadas.
            Em 2017, o Marcos Salles a convite da jornalista Vera Daisy Barcelos, amiga em comum e assessora de imprensa do grupo de samba gaúcho Puro Asthral o convidou para vir à Porto Alegre para dirigir show do grupo numa sala de teatro da capital gaúcha. Na famosa Casa de Cultura Mário Quintana.
            Na oportunidade, tive o prazer de conhece-lo pessoalmente e registrar o apreço pelo seu trabalho biográfico sobre a FAMILIA DINIZ (seu Monarco da Portela, seus filhos Mauro e Marquinhos Diniz, e netos Juliana , Theresa e João Matheus), intitulado  "Família Diniz – Um Coração Azul e Branco“.
             Nossa conversa alongou-se e consegui apresentar-lhe algumas postagens do Armazém do seu Brasil, meu blog cultural. Resultado disso? Um convite para uma parceria bem bacana. Em 2018, o "carinha", produtor musical Marcos Salles lança pro mundo seu novo blog "Causos e canções" que apresentará resenhas e estórias envolvendo a música brasileira em suas diferentes regiões. E sabem qual outra notícia boa? O Edinho Silva, do Armazém do seu Brasil, direto de Porto Alegre será responsável por uma postagem semanal no informativo  "cheio de grife". É pouco? É muito? É TUDO!!
             Com a estréia prevista para o dia 20/06/2018, reservou a próxima terça feira, dia 26/06/2018, espaço para minha postagem. Assim sempre às TERÇAS-FEIRAS teremos o prazer em compartilhar "algumas coisas" referentes à música do RS, seus diferentes ritmos, seus cantores, suas cantoras, seus instrumentos e curiosidades.
            Com o suporte de produção literária do grupo liderado pelo professor Marcelo Spalding www.metamorfosecursos.com.br  seguirei vibrando por um bom tempo a oportunidade de aproximação de coisas legais em nome da Cultura Popular e de Gente Brasileira.
            Confirmando a frase do caminhão de um amigo: "Quando achamos que uma porta se fecha, bem perto outras janelas, escancaram-se." MUITO obrigado, Marcos Salles, pelo novo desafio. 
       
Abração a todxs e boas leituras,
 
Edinho Silva, do Armazém

4 de mai de 2018

Lágrimas no rosto de um homem



Um Homem pode chorar??

        Lógico. Chora de tristeza, de raiva, de desespero, de euforia, de saudade, de dor. E por que não de EMOÇÃO?? Pois, na semana passada chorei muitas vezes. Explico.
       Outro dia tentava atravessar a rua com uma menina rebelde, estudante do Bom Conselho. Inquieta, rejeitava dar a mão para atravessarmos a rua na direção da Creche da UFRGS para buscarmos sua irmãzinha. A primeira (a branquinha rebelde, chama-se Polyanna) e a segunda, a menor e mais  moreninha, chama-se Karol.
       Pois, o tempo passou e a Polyka cresceu um pouco mais mudando de escola. Saindo da particular e ingressando na escola pública (Colégio Uruguai), onde completou seus estudos de ensino fundamental. Mais um tempinho, a mocinha ingressou no Piratini, mais uma escola pública em sua vida.
      Preparação para seu primeiro vestibular, matrículas em cursinhos e tal. Leituras indicadas, cálculos, matemáticos, ciências humanas pra lá e exatas pra cá. E a mocinha não obteve êxito na Federal. Passou na particular (PUCRS). Enfim, coisas da vida. Sem perder a motivação, matriculou-se novamente no curso pré-vestibular e desta vez, num gesto determinado anunciou: "Ninguém paga o cursinho. Eu pagarei, sendo monitora.". O que nos restava como o coletivo de retaguarda (família e amigos)?? Colinho e torcida. Passado um tempinho, a inquieta Polika, nos presenteou com seu nome no listão da Federal. Nossa alegria?? Numa dimensão internacional. Aliás, o capítulo dos estudos em solo português...nem quero comentar. Foram lágrimas de saudades.
      No último dia 12/02/2014, no Salão de Atos da UFRGS a inquieta, disciplinada, estudiosa acadêmica de Políticas Públicas recebeu sua titulação. Só isso?? Nada. Exerceu, ao lado de uma colega, a tarefa de ser oradora.
     Como na propaganda de um famoso cartão de crédito, acompanhar o início de uma trajetória acadêmica de um filho na UFRGS NÃO TEM PREÇO. E de dois filhos?? Ou melhor, de duas filhas?? Ufa..Haja lágrimas.
     Ontem, foi a POLYANNA (Analista de Políticas Públicas) e ali adiante será a Karol (a educadora física).
     Tudo isso parece mágico?? Mas não é. O que verdadeiramente arranca lágrimas de um Homem como eu, é a certeza da sintonia, simplicidade, determinação, companheirismo e boa colheita. Uma aposta no crescimento individual e como coletivo de pessoas que, mesmo sendo diferentes, mas acreditam na tolerância, no respeito e por que não a idolatria entre uns e outros?? Recordar de coisas simples como atravessar a rua chorando por um picolé ou poder abraçar-lhe e dizer no teu ouvido o tamanho do orgulho que sinto de minhas filhas.
     Amo vocês.

     Beijo,

    Edinho Silva, chorando muito....


"Mas, se a sociedade não pode igualar os que a natureza criou desiguais, cada um, nos limites da sua energia moral, pode reagir sobre as desigualdades nativas, pela educação, atividade e perseverança."






 
 

27 de abr de 2018

Cantar samba é...diz aí, Nego Izolino??

                                                                             Acervo pessoal do Armazém


         Posentão...

         Qual o gaúcho ou gaúcha simpatizante de um bom samba NUNCA OUVIU falar da obra autoral do Nego Izolino do Nascimento?? Não. Então te convido a prestigiar o Sarau do seu Brasil e conhecer  "o cara" de perto.
          Sujeito criativo, disciplinado, emotivo, comprometido, sensível e acima de tudo, de muito alto astral. Outro dia, enquanto tomávamos um café com "amanteigados" no Mercado Público de Porto Alegre tivemos a oportunidade de falarmos um pouco de tudo. Das boas lembranças do Samba Autêntico, seu grupo de samba que marcou época nos anos 80 até a composição de sambas enredos de diferentes temas em Escolas de Samba gaúchas. Falamos de Projetos e sonhos, idéias e realizações. Amizades, justiça social, cultura popular, desencantos, frustrações, sucessos e fracassos.
          A tarde voava enquanto tomávamos o tal café. Inegavelmente, o encontro tornou-se um bom programa de minhas férias. Aprendi alguma coisa com os depoimentos orais? Muito. Tive a oportunidade de ensinar? Muito. Como assim?? O nego Izolino é destes que, assim como EU, acredita na máxima "...Ninguém estará pronto para ensinar, se não souber aprender..."
           E qual a relação do Nego Izolino com o Armazém do seu Brasil? Enorme. Ao ser acionado, VESTIU A CAMISETA literalmente e juntou-se aos demais BRASILEIROS - o Regional do Armazém,
              Simples, como ELE.

No próximo dia 08/05/2018, a partir das 20h, no Mr. Skull - bairro Santana/Porto Alegre rola a comemoração do Dia Nacional do Samba.
Vamos??

Edinho

Sonho meu...vai buscar quem mora longe! Dia Nacional do Samba


                                                                                   foto: Antonio Domingos

          Posentão...

          Celebrar o Dia Nacional do Samba?? Lógico. Dia 02 de dezembro? Não. Dia de samba é todo dia. E assim cantar, confraternizar, reunir amigos, tocar e sambar. É o que faremos no próximo dia 08/05/2018, terça-feira, a partir das 20h, no Mr. Skull.
          Na semana que passou ouviu-se por diferentes cantos do Brasil a seguinte afirmação: "Dona Ivone Lara nos deixou..." Nada disso. A obra da grande sambista, cantora e compositora ficará por toda vida na memória, nos corações e na alma. O que seguiu na direção do Guineto, do João Nogueira, Candeia, Noel Rosa, do Lupi e tantos outros foi sua porção física.
           E assim sob a batuta do quinteto "Os BRASILEIROS" - o regional do Armazém do seu Brasil (Rogério Pereira, Nego Izolino, Silvinho Xavier, Vini e Carlos Henrique) celebraremos na companhia de convidados ilustres toda a energia e vibração que o SAMBA simboliza em cada um de  nós.
          Muita resenha, composição autoral, sorteio de "mimos", reencontros e samba "de responsa".
          Que tal conferir de perto a função?? E por favor, chegue anunciando "...foram me chamar...EU estou aqui o que há??"
Vamos??


Serviço:
Sarau do seu Brasil - Dia Nacional do SAMBA
Resenhas e roda de samba

Onde? Mr. Skull - rua São Luiz, 433 - Santana - Porto Alegre
Quando? 08/05/2018 - terça-feira, a partir das 20h
Investimento cultural? R$5,00 (único)




26 de abr de 2018

Escrever legal é preciso...

Posentão...

Todas as pessoas que acompanham minhas conversas sobre o Armazém do seu Brasil sabem de meu desejo de tornar público o NOSSO blog de estórias.
As coisas devem ocorrer por etapas. Primeiro a coragem de redigir, depois externar a produção (num primeiro momento). Estou falando de uma primeira etapa, pois a parte gráfica e definitiva (?) depende de outras lapidações.
Estou falando de uma aproximação a profissionais que produzem, escrevem, instruem os redatores de um modo geral. Para ter um bom texto, não bastam boas idéias. É imprescindível que tenhamos ajustes, estudos, experimentos, avaliação e construção de uma linguagem aceitável de comunicação.
Isto tem alguma relação com a forma de comunicação das pessoas?? Mais ou menos...Estudos contemporâneos nos mostram que a forma de comunicação pode ocorrer de várias formas e formatos.
Logicamente, que o registro de tudo isso através de uma "pretenciosa" obra merece e necessita uma qualificação experiente.
Onde fui buscar isso?? Nas oficinas literárias da METAMORFOSE, cuja direção é do jornalista, professor e escritor Marcelo Spalding. Doutor em Letras pela UFRGS, atua como professor universitário em Porto Alegre, editor da Editora Metamorfose e do Portal Artistas Gaúchos, diretor  e coordenador do Pós Graduação em Produção e Revisão Textual da UniRitter. 
Quer saber mais?? Acesse...
http://www.metamorfosecursos.com.br/ ou  www.marcelospalding.com

12 de abr de 2018

Gostas de rádio?? E de DIVAS??



Posentão...

Prosseguindo com a energia e luminosidade nos espaços por onde passa a cantora e ARTISTA Deborah Rosa volta à Porto Alegre com um show que podemos chamar de "coisa de grife". A santa-mariense boa de canto escolheu com o coração e com a alma o repertório do show intitulado "Divas do Rádio". Estão duvidando?? Não aconselho. Quando reúne o competente trio Daniel, Diego e Ricardo as emoções ganham forma.
E é um formato de "coisa chique", de qualidade. Se eu já tive acesso ao set list?? Mais ou menos...porém se tivesse não contaria a ninguém. A vida está tão cinzenta e sem cor, que quando temos oportunidades de prestigiar arte de bom gosto, as surpresas compensam.
Se eu e minha família iremos?? Claro. Na segunda fila, pois na primeira, o espaço será dos fãs clubes e das "otoridades".
Vamos??

Tem ingresso na nova Livraria Cirkula -
Av. Osvaldo Aranha, 522 -
(51) 3209-3778
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Em tempo: Os 100 primeiros convites custam apenas R$20,00
 

Reeducação alimentar...pode??




                   Pois, o nego Edi traz mais uma estória do Carlito Trovão.
              Nos idos dos anos 80 a Cidade Baixa, em Porto Alegre já tinha seu formato de boemia. Haviam na região muitos bares que serviam comida e bebida aos músicos da noite que saiam de seus "shows e apresentações" para a primeira refeição do dia, lá pelas 7h da manhã. O nego Nanato era crooner de um grupo de baile da Cidade que era habitual frequentador de um bar, de propriedade de um outro cantor famoso.
                 Habitualmente, o dono do bar e cantor, servia os clientes cantando seus boleros pelas mesas. Outra particularidade no seu bar era a equipe a equipe de trabalho: na cozinha sua mãezinha e no salão principal sua mulher e seus filhos. Hoje ELE tem na conta 23 filhos, 15 netos e 10 bisnetos...Mas não é o assunto em questão. O tema é o Nanato e sua forma exótica de se alimentar.
Funcionário da Prefeitura Municipal, o cara chegava no bar perto depois das 6 da manhã. Pedia um carreteiro, ovo frito e feijão mexido. Claro...e uma "bereja". Mais uma diga-se de passagem.                 
                Enquanto esperava a comida, o Nanato cochilava um pouco. Nem preciso dizer que, quando vinha o prato ELE quase não comia. Era comum encontra-lo com o rosto mergulhado no feijão e no carreteiro. Inúmeras vezes foi acordado na mesma cena e sem o menor pudor pagava a conta e ia embora com o rosto "ligeiramente" sujo de comida. O dono do bar, parceiro de longa data passou a dar-lhe desconto e entregar um ovo cozido para que pudesse comer na parada do ônibus.
                 Vai ser bom em reeducação alimentar assim, na casa do ....
                 Pode?? O Carlito Trovão, disse que pode.

2 de abr de 2018

Condomínio fechado é mais seguro. Não acham??





    • Posentão...
    •  
    •         O nego Edi nos conta uma estória ocorrida no sábado de aleluia. Os protagonistas? O nego Tidão do cavaco e o César Braguinha. O pecado dos caras já começa na sexta-feira santa. Um deles (o Tidão) trabalhava numa oficina mecânica  e o outro (Braguinha) trabalhava numa farmácia no Centro da Cidade.
    •        Duplinha de galanteadores e sambistas nas horas vagas percorreram quase toda Porto Alegre atrás de uma roda de samba, em pleno dia santo. Não foi fácil, mas lá pelas bandas da Zona Norte (lá pelo Sarandi) encontraram a "muvuca". A busca foi feita a bordo de um carro bacana que estava no conserto na oficina mecânica, onde o Tidão trabalhava. Não atuava como mecânico, não tinha habilidades. Lavava peças e manobrava os veículos que chegavam.
    •           Como tinha acesso às chaves, escolheu o melhor "auto", chamou o parceiro e saiu à procura do tal samba. O pagode estava movimentado. Bebidas geladas "circulavam", os casais sambavam, tudo era festa em plena sexta-feira santa. Não tinha churrasco, mas muita bebida e paquera.
    •        Não demorou muito para "duas donzelas" amigas cairem na lábia da dupla. Em pouco tempo, os casais já estavam familiarizados e antes que a noite avançasse decidiram buscar um local mais reservado. Com a grana um pouco curto o Braguinha sugeriu que fossem para a casa de uma das mulheres para programarem algum outro programa.
    •        A empolgação foi tanta que, acabaram adormecendo no "cafofo" das moças para realizar um churrasco no sábado de aleluia. O Tidão havia apresentado ao grupo uma noitada mais discreta e uma carne assada num lugar bacana no outro dia. Logicamente que todo este zelo tinha razão. "Como circular com um carro do cliente pela Cidade??" Enfim...as gurias toparam o "papo doce" dos moços.
    • Amanheceu e logo cedo, o Tidão sugeriu que todos levantassem depois de um café bebido e rumassem para um condomínio fechado que os amigos construiriam suas casas. Como ambos estavam em regime de separação e eram velhos amigos, entenderam ser possível a vizinhança. A dupla passou na casa de um terceiro amigo, apanhou espetos, facas e rumou para um açougue escolher a carne.
    •           Na cidade de Viamão, região metropolitana de Porto Alegre, existe um parque florestal (Saint Hilare) cuja a área possui uma vegetação muito bonita, churrasqueiras espalhadas, lagos, espaço para estacionar e o mais importante: porteiro e vigilantes no acesso de entrada. Para ingressar no Parque não há a obrigatoriedade de pagamento de taxa, bastando a identificação aos responsáveis pela cancela. "Malandramente", o Tidão que dirigia o carro ao passar no portão principal e ser abordado pelo vigilante florestal, sutilmente, alcançou uma cédula de R$10,00. 
    •           Ingressaram no Parque, com as convidadas, as carnes, as bebidas e uma vontade de escolher(?) os lotes que construiriam suas casas. E por que, não ouvir a opinião das "novas namoradas"?? Foi um dia inesquecível para todos. Inclusive os NOVOS MORADORES DO CONDOMÍNIO FECHADO. Os detalhes da estória e sua continuação?? O nego Edi não quis saber...Até ELE ficou com nojo dos amigos...

31 de mar de 2018

Sua ou NOSSA Casa Criativa?? Novas parcerias...



                                     acervo pessoal do artista



Posentão...

           "Quer saborear um café passado na hora conversando sobre arte, cultura, música e outros assuntos interessantes??" Isto já é um bom convite, né mesmo?
               O assunto é mais sério ainda...Quer aprender música com uma metodologia contemporânea mesclada com bons ensinamentos tradicionais?? EU tenho uma recomendação. Procure o professor  Daniel Rosa, um dos responsáveis pela CASA CRIATIVA - espaço de cultura\ e arte.
              O moço é um arranjador dos bons, compositor, músico experimentado e de larga experiência com diferentes ritmos 
            Aproveite os cursos de guitarra, baixo, violão, cavaquinho e técnica vocal para aprender, se divertir e desenvolver sua criatividade, don ou talento. Tua primeira aula, experimental é por conta da casa.
             E se a mãe, a namorada, o padrinho quiser te acompanhar e ter uma iniciação no mundo das artes plásticas? Vem junto...A dona Deja Rosa, artista plástica e professora,  te espera no andar superior da Casa Criativa.
           O investimento é único, não tem matrícula. E você tem liberdade de escolher seu ritmo de estudos e formatos de aprendizagem.
                Faltou alguma coisa?? Acho que não. Venha respirar Arte num espaço criado só para você.
                E o cafezinho?? Quase servido...


https://www.facebook.com/suacasacriativa/?hc_ref=ARQex6liEpKM6ABIFQEmmoHiCgHMMT_e-J5glwp29S8uuYz7trimShvS4XH9Ps__lEU



12 de mar de 2018

Cheiro forte ou essência divina??


Posentão...
            O nego Edi nos conta que sua prima de São Sepé, a nega Dadá e seu marido, Juliano "Alegoria" passaram por poucas e  boas no Carnaval de Porto Alegre, em 2010. O casal folião e residente no bairro do Tabuleiro, em São Sepé, sempre gostou de desafios.
           ELA com seu requebrado e sua ginga, seus títulos momescos lá pelas bandas de Santa Maria, na companhia de seu maridão Juliano receberam um convite para desfilar numa escola de samba no Carnaval de Porto Alegre. A Escola de Samba Academia do Imperador, uma das maiores da Região Metropolitana estaria homenageando um grande nome da Cultura Gauchesca em seu tema enredo.
            O Juliano, profissional premiado em Concursos e Provas, como cenógrafo e aderecista viria para mostrar seu talento nos carros alegóricos e demais alegorias da escola. Ela, a Dadá, pela primeira vez viria como destaque no carro principal. Ao lado de outras mulatas, a Dadá viria como uma bela fantasia vinda da Capital Paulista para compor a Corte do personagem homenageado.
           Na concentração, momentos antes de ingressar na avenida (Complexo Cultural Porto Seco) o "enredo", nome conhecido da Cultura gaúcha sentiu uma forte vontade de urinar. Com os banheiros químicos distantes, uma escuridão que tomava conta do espaço, o carnavalesco e um dos diretores da Escola "implorou" à Dadá e as demais mulatas para que se posicionassem de costas e fizessem uma barreira com seus vestidos e fantasias (tipo biombo) para que a "vossa excelência" pudesse fazer sua necessidade biológica.
         Resultado: um pouco de incontinência, algum teor etílico no corpo forçaram o senhor a errar o alvo. Assim, o vestido da Dadá foi premiado com alguns 300 ml de pura urina. Sem perceber, a nega Dadá subiu no carro sob o olhar atento do Juliano, que ainda conseguia conter o riso.
          Tudo em nome do Carnaval e da folia de Momo, a nega Dadá atravessou a avenida "premiada" pelo mal cheiro e as risadas do marido.
            Perguntei ao Nego Edi se a prima continua desfilando?? Nunca mais. Largou. Agora só vai de abadá em Salvador. E costuma dizer "Meu nego, se é para sambar mijada...pelo menos tem que ter um banho de mar, na finaleira".     

28 de fev de 2018

Deborah Rosa - Um pedaço de Santa Maria no Armazém



                                                       crédito da imagem: Filipe


Posentão...

         "Pedra que muito se muda, não cria limo jamais..." Quem não conhece o samba que a "marron" imortalizou um dia?? Muita gente, não??
         Outro dia, pensando nas coisas do Armazém refleti sobre o que ouvia e penso que não concordo muito com a afirmação da maranhense. Sabe por que?? Simples. Quando as coisas são boas, ELAS PODEM sim, mudar de local, de cidade, de espaço, de terreiro. Afinal, não criou "limo", mas saiu para as ruas. Indo ao encontro de todos. E a Déborah Freitas e seu canto não param de transitar.
       As artes plásticas precisam sair dos ateliês. As canções precisam sair dos estúdios. As danças precisam invadir as pistas. Aqui, ali, acolá. Arte, cultura e energia precisam ser compartilhadas.
          E os "cantos"?? Mais ainda, afinal quem canta seus males espanta, né mesmo produção??
          Pois, na próxima quarta-feira7 de março, o Musical Évora recebe Deborah Rosa em “Divas do Brasil”. A apresentação ocorre na Sala da Música do Multipalco Theatro São Pedro, às 12h30, com entrada franca

       No show, a cantora, que será acompanhada por Daniel Rosa (guitarra e violão), fará uma homenagem às mulheres através de um passeio pela música brasileira na voz de grandes interpretes nacionais, como Ivone Lara, Maria Bethânia, Elis Regina  entre outras. Natural de Santa Maria, Deborah Rosa trabalha e contribui há 20 anos. Com mais de 500 apresentações em todo o estado (nos mais variados locais, de bares a Teatros), trazendo na bagagem diferentes e ousados Projetos Musicais que exaltam e renovam o cenário com novos compositores e com os clássicos.
            Alguns dias depois junta-se ao Regional "Os Brasileiros" - a trilha sonora do Armazém do seu Brasil, cuja atual formação conta com Rogério Pereira, Nego Izolino, Silvinho Xavier, Bóca do cavaco, Carlos Buiu, Vini do pandeiro. E com a participação especialíssima do Carlinhos Presidente, seu inseparável pandeiro e suas obras autorais.
              Assim no dia 13/03 - terça-feira, das 19h30min às 23h30min, acontece a primeira roda de samba do Armazém de 2018. Muita resenha e samba de nego véio. Reencontros e celebração com cara de Brasil.
Onde? Mr. Skull - rua São Luiz, 433 - Santana
Investimento cultural? R$7,00 (único)
http://www.teatrosaopedro.com.br/musical-evora-apresenta-deborah-rosa-no-show-divas-do-brasil/#

https://www.youtube.com/watch?v=SFrlJMIBFVc

         

26 de fev de 2018

2018 te prepare!! Eu e as coisas do Armazém iremos te usar

                                                                 Acervo pessoal - Direto das águas do Velho Chico


           Posentão...

        O ano de 2017 foi muito gratificante sob diferentes aspectos em relação ao Armazém do seu Brasil. O blog possibilitou que inúmeras pessoas de diferentes localidades pudessem se divertir com as estórias e seus personagens. Ganhou repercussão nacional após a apresentação no Programa Nação do Canal Brasil, com a apresentação da talentosa jornalista Fernanda Carvalho e a atenta produção da equipe capitaneada pela competente jornalista Vera Cardoso onde pudemos conversar sobre samba, celebridades do Carnaval de Porto Alegre, samba autoral e clássico na animada roda de samba do Armazém. Novas parcerias se aproximaram e novos Projetos foram idealizados.
Enfim, "só coisas boas"...
          Mas 2018 o que nos reserva?? Bah!! Muito mais coisas. Mais rodas de samba e resenha em formas de Sarau, teatro, literatura, iniciativas e Projetos sociais, oficinas temáticas, imagens nas redes, a retomada do Programa na rádio web e muitas outras coisas legais que nos remetam à defesa e o direito de acesso de todos à Cultura Popular e lazer. Com todos os "passes renovados" dos craques que fazem o autêntico samba aquecer os "corações" e a alma de todos os envolvidos. Quem são os caras? Rogério Pereira (violão sete cordas), Nego Izolino (percussão e voz), Silvinho (cavaco), Henrique Buiu (percussão e voz), Vini (pandeiro), Bóca do cavaco (banjo), Carlinhos Presidente (voz), Debórah Rosa (Santa Maria) e Aline Preuss (Canoas) nas cantorias. Faltou alguém?? Sim.                   Nosso escrete sempre acolherá todo "aquele ou aquela" que desejar samba conosco. 
Em viagem de férias, na companhia da melhor companhia (minha mulher Patricia Venturela), incentivadora e apoiadora dos meus sonhos, fui até Maceió/Alagoas. Percorremos algumas praias até chegarmos no rio São Francisco. Uma terra de muitas belezas naturais, história e cara do Brasil e todos os mistérios que cercam o "Velho Chico". 
        Na oportunidade AGRADECI AOS CÉUS por estarmos visitando um local tão bonito e acolhedor. Aproveitei ainda para trazer "uma carranca" utilizada nas cabeceiras das jangadas e barcos para espantar as energias negativas. Então, seu 2018...te prepare, pois "iremos lhe usar" com toda a força e energia em nome do Armazém do seu Brasil. E a inveja e o olho gordo?? O amuleto toma conta...e foi o menor que consegui trazer...

Primeira roda de samba e resenha de 2018 do Armazém do seu Brasil
dia 13/03/2018 - terça-feira - das 19h30min às 23h30min
Mr. Skull - rua São Luiz, 433 - Santana - Porto Alegre/RS
Investimento cultural: R$7,00 (único)

11 de jan de 2018

Quando o coração aperta?? Saudades...ora!




          Posentão...

         Francamente, não lembro os dias das "passagens" dos meus pais, seu Edison "Baixinho" e dona Carminha. Tristeza pura. Então prefiro ficar com as lembranças boas, entre estas, as comemorações de seus aniversários - dia 04/09 DELE e 11/01 DELA.
     Nestes dias NÓS que continuamos deste lado, choramos, sorrimos, celebramos, oramos, recordamos, escrevemos, nos emocionamos, comemos "de montão", bebemos um pouco, transgredimos, afagamos e outras tantas coisas que um ser humano pode simbolizar em coisas bacanas. 
        Cada um a seu modo, EU e meus dois irmãos, manifesta-se a seu modo sem perder a "doçura" que nos foi oferecida enquanto estivemos todos juntos. As lembranças são muitas e caso decidisse relatar em postagens ocuparia muitas páginas. Destaco algumas delas, entre estas, algumas relacionadas ao Natal.
         Sempre viva na minha memória, lembro do meu pai nos primeiros dias de dezembro chegar em casa com um galho grande de pessegueiro (em muito casos) e uma lata de tinta vazia nas mãos. Residindo numa casa simples de madeira, de 3 cômodos e banheiro fora, iniciávamos os preparativos natalinos bem cedinho. Minha mãe, sempre de forma silenciosa, foi uma pessoa muito atenta e criativa. Isto mesmo...Ambos com limitações de educação formal, conseguiam nos transferir conhecimentos e saberes capazes de contribuir muito na nossa formação como PESSOA.
        Meu pai, marceneiro dos bons, olhava uma modelo de móvel numa revista ou ouvia a idéia de algum arquiteto e em poucos dias entregava a encomenda pronta. ELA, minha mãe e aniversariante do dia, muito antes dos "Masterchef da vida", da Ana Maria Braga e das fórmulas mágicas propostas para que as crianças provem e comam todos os alimentos oferecidos era "craque" na maquiagem e apresentação dos pratos. Se hoje, SOMOS CHATOS, na hora da refeição foi porque o Mundo moderno nos transformou. Na minha casa simples, uma salada ou até mesmo um chuchu "sem graça" tinha um apelo sedutor. A "Minha" era xarope!! Sem requinte, pois as condições não permitiam, mas muita criatividade e ousadia.
        Putz!! Estava falando do Natal, né?? Pois, a dona Carminha revestia a lata de tinta com papel de presente (geralmente vermelho - Olha a Coca-Cola aí gente!!!) e a enchia com terra do pequeno quintal  de nossa casa. O passo seguinte era passar um cal (não havia tinta disponível) no galho do pessegueiro e enterrar na lata de tinta. Próximo passo seria decorá-la com as bolinhas de Natal, algodão, caixinhas de fósforo revestidas de papel de presente e partir para a decoração. Juntar cartões de Natal (velhos e bons tempos que tínhamos a caligrafia das pessoas na companhia da gente).
E os presentes da tal árvore?? Como disse no início, a grana era curta, mas árvore decente merece ter pacotes de presentes a seus "pés". Como fazer?? Pergunte à dona Carminha...Forrava caixas de medicamentos vazias, de sapatos, latas de conservas e estruturava um cenário natalino bem bonito.           Tinha presépio?? Claro. A manjedoura com capim seco, os reis magos feitos com soldados plásticos doados ao longo do ano. Os bichos eram produzidos na criatividade também. O gado e alguns outros partiam de frutos de um mamoneiro com as pernas de palito de fósforo. Estrela no topo da árvore seca, também não poderia faltar...E não faltava.
          E a mesa no dia de Natal?? EU ainda, não tive a oportunidade de comer em algum hotel chique e, tampouco, viajar num Cruzeiro, porém alguns livros, imagens de revistas e a criatividade da Dona Carminha com seu conhecimento empírico, criatividade e disposição em oferecer SEMPRE o melhor para sua familia "arrebentava" na produção. As bebidas nem lembro, mas e os pratos?? Nossa!!!                 Nada chique (o orçamento não dava), porém a apresentação era para encantar os olhos. Lembram que referi a limitação de grandes estudos?? Os especialistas costumam afirmar que os "olhares chegam primeiro nos manjares". Era isso que acontecia...  
          Acho que escrevi demais, né??
        Azar! Tenho saudade DELA e DELE...enquanto escrevo, choro, recordo e agradeço a quem me deu a honra de compartilhar um pedaço da minha vida tão legal que EU JAMAIS ESQUECEREI.
         A certeza do reencontro conforta?? Sei lá...a gente escreve, a gente quer acreditar nisso ou nos fizeram acreditar nisso. O fato é que SAUDADE É COISA DE GENTE GRANDE. Não é pra fracos!!
        Se sou EDINHO, é por tua causa seu "Baixinho". Se sou SILVA é para não te esquecer, Dona CARMINHA. Muito obrigado, Carlão e Xú que me presentearam com este apelido que permite lembrar dos meus pais sempre quando alguém me chama.
Onde quer que estejam, queria que soubessem que mesmos diferentes, cada um com seu jeito, humores e rancores, teus filhos resultaram "COISAS POSITIVAS" e sempre que podem expressam através de abraços como registrado na foto todo o respeito, afeto e paixão.
Amorosamente,

Teu filho, Edinho Silva