23 de dez de 2012

Exames laboratoriais. Cuidado!!



Esta o tio João do Brasil jura que é verdade...


O Setembrino precisava realizar alguns exames admissionais de saúde. Passou no laboratório apanhou os recipientes e as orientações necessárias e anunciou o retorno no dia seguinte.
Além dos exames, o "Bino" faria uma ecografia do aparelho urinário - os famosos dos inúmeros copos de água. Pois, não é que o moço ingeriu líquido além da conta?? Chegando no local marcado foi conduzido até a maca (com a bexiga muito lotada) para aguardar o profissional que faria o exame. E esta pessoa não vinha nunca. E a vontade de urinar aumentava sem tréguas. Passados bons e espaçados minutos, surge um senhor vestindo roupas brancas que deu prosseguimento ao exame. A primeira pressionada abdominal o Bino resistiu. Mas na segunda, o cara descontrolou-se e...Já podem imaginar?? Urinou todos os lençóis, a calça, a maca e um pouco do piso da sala.
Justamente no laboratório onde a ex-cunhada trabalhava. É mole??

Guardado a sete chaves

Esta é na conta da Dona Morena...



Churrasco no salão de festas do edifício do Cléo da cuíca. Entre os convidados, os amigos e vizinhos Didi Moreno e sua mulher Anita, os irmãos Betinho e Betão, a namorada Samanta e os amigos Gustavo e Carneiro. Música boa, carne no ponto, cervejas geladas e um desfile de bebidas destiladas.

Tudo transcorria normalmente até que, o Betinho ofereceu-se para ir até o apartamento do anfitrião Cléo da cuíca levar alguns dos utensílios usados no churrasco e assim, reduzir as tarefas na saideira da festa. Nada de anormal, se não fosse as doses excessivas de vodka pura ingeridas pelo Betinho. O mocinho estava um pouco acima do solo e quando entrou no apartamento do anfitrião, foi ligando condicionador de ar, tirando a camisa e chaveando, novamente a porta. Resumo: Ele foi até o apartamento do Cléo levar os espetos e louças e acabou pegando no sono com a porta do apartamento trancada por dentro.
Quando o dono desceu até seu apartamento (no quinto andar) - a festa era na cobertura foi surpreendido com a porta trancada e o amigo incomunicável. Não atendia telefones, porteiro eletrônico, campanhia, nada. Pensaram em chamar um profissional chaveiro, porém desistiram quando souberam o alto custo dos serviços. O que restou, além da indignação?? Um banho na casa do vizinho Didi Moreno, uma roupa emprestada e um sono de algumas horas do lado de fora do apartamento, junto à porta. E o Betinho?? Roncando bastante e desmaiado, dormindo de roupa e tudo na casa do amigo (ou ex-amigo).