12 de abr de 2018

Gostas de rádio?? E de DIVAS??



Posentão...

Prosseguindo com a energia e luminosidade nos espaços por onde passa a cantora e ARTISTA Deborah Rosa volta à Porto Alegre com um show que podemos chamar de "coisa de grife". A santa-mariense boa de canto escolheu com o coração e com a alma o repertório do show intitulado "Divas do Rádio". Estão duvidando?? Não aconselho. Quando reúne o competente trio Daniel, Diego e Ricardo as emoções ganham forma.
E é um formato de "coisa chique", de qualidade. Se eu já tive acesso ao set list?? Mais ou menos...porém se tivesse não contaria a ninguém. A vida está tão cinzenta e sem cor, que quando temos oportunidades de prestigiar arte de bom gosto, as surpresas compensam.
Se eu e minha família iremos?? Claro. Na segunda fila, pois na primeira, o espaço será dos fãs clubes e das "otoridades".
Vamos??

Tem ingresso na nova Livraria Cirkula -
Av. Osvaldo Aranha, 522 -
(51) 3209-3778
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Em tempo: Os 100 primeiros convites custam apenas R$20,00
 

Reeducação alimentar...pode??




                   Pois, o nego Edi traz mais uma estória do Carlito Trovão.
              Nos idos dos anos 80 a Cidade Baixa, em Porto Alegre já tinha seu formato de boemia. Haviam na região muitos bares que serviam comida e bebida aos músicos da noite que saiam de seus "shows e apresentações" para a primeira refeição do dia, lá pelas 7h da manhã. O nego Nanato era crooner de um grupo de baile da Cidade que era habitual frequentador de um bar, de propriedade de um outro cantor famoso.
                 Habitualmente, o dono do bar e cantor, servia os clientes cantando seus boleros pelas mesas. Outra particularidade no seu bar era a equipe a equipe de trabalho: na cozinha sua mãezinha e no salão principal sua mulher e seus filhos. Hoje ELE tem na conta 23 filhos, 15 netos e 10 bisnetos...Mas não é o assunto em questão. O tema é o Nanato e sua forma exótica de se alimentar.
Funcionário da Prefeitura Municipal, o cara chegava no bar perto depois das 6 da manhã. Pedia um carreteiro, ovo frito e feijão mexido. Claro...e uma "bereja". Mais uma diga-se de passagem.                 
                Enquanto esperava a comida, o Nanato cochilava um pouco. Nem preciso dizer que, quando vinha o prato ELE quase não comia. Era comum encontra-lo com o rosto mergulhado no feijão e no carreteiro. Inúmeras vezes foi acordado na mesma cena e sem o menor pudor pagava a conta e ia embora com o rosto "ligeiramente" sujo de comida. O dono do bar, parceiro de longa data passou a dar-lhe desconto e entregar um ovo cozido para que pudesse comer na parada do ônibus.
                 Vai ser bom em reeducação alimentar assim, na casa do ....
                 Pode?? O Carlito Trovão, disse que pode.