11 de out de 2011

O guerreiro, seus amigos e seus tambores - Turucutá na área


   
               Certo dia enquanto caminhava por um movimentado parque de Porto Alegre para relaxar de uma pesada jornada de trabalho reencontrei um velho amigo: Flávio Guerreiro. Educador físico, vibrante professor de escola pública, agitador cultural, amigo dos amigos, apreciador de um bom samba e apaixonado por uma batucada. Depois de um longo papo, onde pudemos trocar histórias e vivências (EU com minhas andanças no mundo do futsal e ELE com suas experiencias no mundo escolar), o Flávio Guerreiro falou com muito entusiasmo do movimento ao qual estava inserido atualmente - Tucurutá - Batucada Coletiva Independente.
           Convidou-me para conferir as oficinas, desfiles e ensaios além de apresentar todos os benefícios que as batidas num tambor, o convívio entre amigos e a harmonia que a concentração dos batuqueiros representava. Fui conferir e não me arrependi. Como diz, o Betinho do pandeiro, lá da Tinga: "O  bagulho é bom mesmo, hein??". Empolgado, o Flávio Guerreiro contou-me numa das muitas vezes em que participei dos encontros do Tucurutá que, numa escola da zona leste da cidade onde algumas atitudes de violências entre adolescentes estavam ocorrendo a formação de uma banda musical conteve os ânimos mais exaltados. O professor localizou alguns instrumentos jogados numa sala do Colégio e propôs sua recuperação e a montagem do grupo musical anunciado. Santo remédio. Arte = disciplina + tambor + juventude.
             Então, meu caro Flávio...vida longa ao Tucurutá e às tuas inciativas que envolvam pessoas, arte e sentimento.

Edinho Silva

Serviço:
Turucutá - Batucada Coletiva Independente

Oficina de Percussão

Aos SÁBADOS, na Quadra da Academicos da Orgia (av. Ipiranga, próximo ao Mac da Silva Só)
Horário: 14h às 15h30min - antes do ensaio da bateria.