30 de dez de 2014

E o Pagode do seu Antonio tá chegando...Pelotas vai tremer!!!

 
 
 
               Um dia na mesa da cozinha de sua casa o seu Antônio Carlos Bandeira ao lado de sua mulher e parceira de todos os momentos, dona Diná Lessa Bandeira acertavam detalhes de onde comemorariam o Revellion daquele ano (2005). Na casa dos sogros, dos amigos, dos pais, viajariam, iriam para o Cassino, para Torres ou Rio de Janeiro?? Pra que ir para longe se poderiam receber os amigos na aconchegante casa do bairro Areal?? E assim o fizeram. Recrutaram o sobrinho dj para o som mecanico, a Maiara para chamar os amigos mais jovens, ligaram para os amigos e parentes do casal, os amigos músicos também foram recrutados e deram o primeiro passo para a confraternização que atravessaria os tempos.
               O pãozinho, os salsichões e o vinagrete os anfitriões ofereceriam. Os convidados trariam as bebidas que consumissem. E a sobremesa?? A disponibilidade e criatividade de cada um. A função começou tímida e foi crescendo, crescendo. No início a música ao vivo contava com uns 3 ou 4 músicos. Mais tarde, sobrava instrumento e sambista. Alguém teve idéia de confeccionar camisetas e assim foram produzidas uma recordação dos encontros anuais. Passou o tempo e as crianças cresceram, a festança também.
              Perto de completar 10 anos de vida, o Pagode do seu Antônio como é chamada a concentração anuncia uma ligeira exaustão. Os idealizadores precisam de substitutos, pois ao longo dos anos sempre foram os principais responsáveis por tudo. E o cansaço também chega para os "incansáveis".
               De longe, aqui de Porto Alegre, fico doidinho para me agregar à função e desembarcar com uma turma para juntos OXIGENARMOS a função e não deixarmos apagar algo cada vez mais escasso nos dias atuais. Infelizmente, a distância não permite tal facilidade. Então, meus caros pelotenses...e amigos do Pagode: "Antes de comprarem os convites para o Lady Laura ou qualquer outro Cruzeiro de Verão para comemorar o revellion de 2016, ou as passagens para Punta (não a do Paulo Santana!!) ou rumarem para Copacabana e assistir o show de fogos soltem o grito ao erguer a taça de espumante ou o caneco do chopp e celebrem a vida, propondo aos participantes uma reorganização na produção ou alguma outra forma que não fragilize a celebração de estar entre amigos.
           Viva o Pagode do seu Antônio e VIDA LONGA às relações de amizade e carinho.
                  Beijo grande a todos,
 
                          Edinho Silva