25 de ago de 2016

Minha vida um pouco mais rara...né, meu amor??




                 Faltam poucas horas para "colar grau" no Curso Tecnólogico de Gestão Desportiva e de Lazer. Nunca ouviu falar nada sobre o tema?? Acompanhou as Olímpiadas? A Copa do Mundo? Foi em algum Parque público no final de semana? Aprecias alguma atividade de lazer e aventura? Ou um bom livro? Ou um cinema? Teatro? Caminhadas ao ar livre? Ou qualquer outra atividade que faça, por alguns instantes, seu rigor profissional?
                Saibas que LAZER não é luxo. É, sim DIREITO CONSTITUCIONAL do brasileiro. Aprofundei meus estudos sobre o assunto nos últimos três anos participando da PRIMEIRA TURMA de GESTORES DESPORTIVOS e DE LAZER, do IFRS/Restinga. Ou melhor, do RS. É pouco?? Nada. Foi difícil, porém muito gratificante. E para minha felicidade e alegria, a Paty Venturela, minha parceira de todas as horas, sempre andou por perto.
                 No dia em que me inscrevi no vestibular, ELA estava comigo. Na festa que antecedeu a prova e  no outro dia, me conduzindo à sala do IFRS para prestar o vestibular, também. Entre um Rogers e um Freud, sempre encontrava espaço para ouvir um pouco dos meus (Marcelino, Ortiz, Bordieu e outros tantos). E nas madrugadas em claro, quando "lascava" caneta a escrever e a estudar para as provas acadêmicas?? Entre um bocejo e outro, acordava para alcançar um café, biscoito ou chá. E quando chegou o TCC?? Não compartilhei, pois a vida moderna de muita gente aposta em caminhadas isoladas. Quis assistir a apresentação. Não permiti, pois ficaria nervoso com a presença da moça. Os momentos de tensão passaram e junto chegava 20 minutos depois da apresentação uma ligação do seu celular. Era ELA, preocupada com minha performance diante dos avaliadores. Agora na parte melhor - o dia da Colação de grau - preocupou-se com a roupa, o arranjo do bolo na comemoração, a lista de convidados, seu vestido, a roupa das crianças, o discurso do orador, etc. Tudo para que não houvesse nenhuma frustração em relação a um momento especial de titulação.
                Diante disso, o que poderia dizer sobre esta moça: "Patricia, há muito tempo tu fazes MINHA VIDA FICAR MAIS RARA. Você me dá sorte na vida." Te amo.
Beijo grande,
 
 
 
 

22 de ago de 2016

Café - Bebida nacional...Aqui ou em Dubai, Carlinhos Presidente??


                                          Carlinhos Presidente no meio das feras do novo trabalho

            Outro dia, fui tomar um café no Bonfim, requintado bairro de Porto Alegre, com meu amigos Carlos Bernardes, ou Carlinhos Presidente. O cara tinha retornado do Rio de Janeiro de onde havia passado alguns dias "lapidando" seu mais recente trabalho fonográfico a ser lançado nos próximos meses em rede nacional.
            Com a irreverência de sempre, o sambista foi narrando o prazer de ter gravado seu trabalho sob o comando do lendário Milton Manhaes, ao lado de craques como Márcio Hulk, Márcio Vanderlei, Esguleba, Paulão, Dirceu Leite e muito mais. Vem coisa muito boa por aí...
             Aproveitei a oportunidade para pedir-lhe um disco "promo" para sortear entre meus amigos durante a comemoração de formatura. Como SEMPRE acontece, o sujeito me respondeu: "Quantos tu queres??" Não abusei pedi apenas um. Com o cd na mão ainda ouvi o comentário afetuoso: "Edinho - gosto de quem gosta das minhas coisas e de mim. És um incentivador do meu trabalho e reconheço muito isto".
              Em forma de agradecimento pela delicadeza do gesto, resolvi pagar o café que tomamos. Pedi a conta e puxei "algumas moedas graúdas". Para nossa surpresa, a balconista disse a meu amigo que ELE havia "pendurado" alguns cafés no ano passado. O Carlinhos lembrava e concordou em pagar. Perguntou qual era o valor da dívida?? De forma rápida, ELA respondeu: "Além dos cafés tinham dois pães de queijo pequenos e a soma total daria R$25,00." CHOQUE TOTAL. Como dizem os antigos: "Bom cabrito não berra. Imagem animal de raça??".
                Pagamos e combinamos duas coisas: a primeira - não voltaríamos no Café que nos vendeu produto nacional a preços de Montevideo ou Buenos Aires; e a segunda coisa é que quando o disco ficar pronto, terei direito a um autografado e dois lugares na primeira fila do show de lançamento do disco a ser realizado num teatro em Porto Alegre. Putz!!! Lava-jato NELES.
Abração,
 
Edinho