22 de dez de 2015

Aniversário do Edinho - parte II



               Nominar pessoas é sempre um risco para a memória falhar. Azar!! Correrei o risco...
              Começarei pela minha casa. MUITO OBRIGADO, minha doce Patricia Venturela pela parceria de sempre. Se for para comer sopa de garfo, macarrão de colher ou churrasco com talheres plásticos nem te aborrece, estás a meu lado. Às minhas filhas, a pretinha Karol (produtora e responsável pela Ventu Produções) e a clarinha Polyanna, que levou  no ventre, o Ricardinho (quem sabe um futuro roqueiro, um sertanejo ou quem sabe um pagodeiro??), ao Nelson (meu primogênito), à Rosangela (não esqueci tuas aulas de percussão...), ao Manoel Jeronimo - Nego Lom (responsável por me apresentar esta terra de Malrboro chamada SAMBA), ao Denis e à Raquel (amigos novos na conta do LOM), ao Rogério Costa (discreto sambista. Conhecem algum XAVANTE silencioso??), às gurias da Urguis (Cris, Sô, Jacira, Amanda, Lisete, Salete), aos afilhados Morenos (Aninha e Diogo), ao Leonardo Verna (e seu tênis retrô...vai me emprestar no verão) e a Vic representando o povo dos Verna, ao Jaime Eduardo, à Tamara e à Cintia (trio que cantava todos os sambas que vinham do palco) e por fim, o Ciríaco Fernandes - o dog chefe, direto do Samba do Cachorro para o meu convívio. Faltou alguém na mesa?? Talvez, porém os compromissos pessoais foram impeditivos.
              Ia esquecendo...MEU MUITO OBRIGADO ao Carlinhos Presidente e à Sandra de Brito e demais envolvidos no Quintal do Presidente pela acolhida. E a homenagem "Irreverência do samba"?? Putz...soco no peito!! Já tá na estante de casa. Ao lado do texto indicado no Concurso Nacional Edison Carneiro, do Rio de Janeiro.
              Acho que, todas os sonhos e devaneios em nome do Armazém do seu Brasil lentamente vão tornando real a fantasia de participar de uma animada roda de samba, tolerante com o  próximo, solidária com quem precisa, energética, ousada e perseverante como víamos no Pagode do Andaraí (como diz o Rogério no samba "Encontro de Paz") e no Samba do Cachorro.
Acho que era isso!!!
 
Valeu muito!! Abração,   Edinho Silva
  
 

Festa presidenciavel - Quintal do Carlinhos Presidente e aniversário do Edinho







                 Dezembro é um mês agitado para todas as famílias. Já repeti esta afirmação infinitas vezes. São os impostos e taxas de todos os anos, decepções, alegrias, frustrações, doações de alimentos e de afeto, corridas natalinas, comilança, etc. Além disso, festejo meu aniversário (19/12) como já falei outro dia numa outra postagem.
               Costumo reunir pessoas (ou tentar reuni-las) em locais diferentes a cada ano. Existem aqueles que estão sempre por perto. Outros, por força de suas atividades pessoais acabam não comparecendo. As justificativas são as mais variadas. Do batizado de capoeira do filho, à dor de barriga da neném, passa pela festa da firma, ou porque não gosta de samba. Tem uns que não aparecem porque imaginam que convidei outros desafetos. Tem aqueles que não dizem nada e, alguns meses depois, dizem que lembraram, mas que não lembram a razão, porém ficaram impedidos de comparecer. Sei lá!! Fazem falta?? Nem sei ao certo...
                Em 2015, envolvido com a arrecadação de brinquedos à uma Escola Pública da Zona Norte fui buscar parcerias a um amigo  novo - Carlinhos Presidente que apresentaria no dia 20/12/2015, no Boteco Tipo Exportação seu Natal Solidário e último Quintal do Presidente do ano. Acolheu a idéia prontamente e, através da Edna Souza, responsável pela Produtora 7 Marias, disponibilizou os tais brinquedos. Tão logo confirmei que comemoraria meu aniversário no Quintal do Presidente, recebi a notícia de que o material de divulgação estava sendo providenciado e os convidados do samba avisados.
              Consegui reunir para a roda de samba minha querida família (até meu neto Ricardinho, na barriga da Poly mexia diferente ao som do samba), amigos próximos, velhas amizades e algumas que estão num processo inicial. Enfim, a mesa reservada ao meu aniversário registrava muita coisa legal. Sambistas e amigos chegavam sozinhos ou acompanhados (Juliano Barcelos, do Puro Asthral, por exemplo, desembarcou com seu núcleo familiar, seu pai Cadinho e sua mãe Vera Daisy). A festa era pura empolgação. Meu parceiro blogueiro que "milita" no samba, Régis Ochoa, cruzou a cidade para me abraçar e ofertar um mimo do SAMBA RS.
              O mais surpreendente estava sendo reservado pelo anfitrião da noite, Carlinhos Presidente. Fui agraciado com a "Comenda Irreverência do Samba" pelo trabalho que faço (embora num formato formiga!!) na conta do Armazém do seu Brasil. É pouco?? Nada. Compartilhar de honraria ao lado do jornalista José Augusto Barros, especialista em música e colunista do Diário Gaúcho já paga o ingresso.
                Além do "Parabéns a você" interpretado pela banda Sem Jabá (Alequis Luis, Rovanir Bombom, Sassá, um outro parceiro que não lembro o nome e pelo baterista/percursionista Wainer, dos tempos de Cantakgente), tivemos no palco e nas homenagens o Willians do Cavaco, Nego Lom do Samba Quente, o caxiense Leno Bueno (a maior manifestação de Beto sem braço do RS), o Cecé, o Juliano, o Beto Ortiz (e a galera xavante que o acompanhava) e o anfitrião Carlinhos Presidente (comprometido fisicamente com um problema de voz) fizeram a trilha sonora do evento. Ou melhor, da festa PRESIDENCIAL.
                      Valeu demais!!!

                                  Edinho Silva 

21 de dez de 2015

Pra combater a dureza da vida? Precisamos falar "na lata"

 
 
                  Durante o mês de dezembro, o espírito natalino atinge muita gente. Os parceiros do Armazém do seu Brasil não são diferentes. Então BORA LÁ ajudar teu próximo.
 
                    "Meus queridos...
                  Preciso ser direto. "NA LATA". Literalmente. Um casal de amigos, Marta Helena Rocha Maciel e Antonio Nene, prepararam algumas ceias de Natal diferenciadas à familias necessitadas. O que são cestas diferenciadas?? Aquelas que não possuem apenas os alimentos básicos (feijão, arroz, açúcar, sal, farinha, entre outros).
                  Como é Natal, meus amigos, planejaram montar uma cesta com panetones, espumantes, especiarias, biscoitos, enlatados. Produtos que constam na lista de cestas natalinas de fato.
Qual nossa tarefa?? Reunir latas de compotas de qualquer fruta para oferecermos algo diferente nas tais cestas.
                Vem comigo??
Uma lata = 01 abraço do Edinho Silva /
3 latas = 01 cd autografado do sambista Carlos Bernardes - Carlinhos Presidente.
               Apanhamos onde for necessário. Fechado??
                Em nome do Armazém do seu Brasil e do parceiro Carlos Bernardes (Presidente) uma das muitas correntes do Bem que circulam por aí agradecem.
A doçura do teu gesto certamente deverá ser uma pequena mostra do néctar da solidariedade.
OBRIGADO,
 
Edinho Silva

18 de dez de 2015

Sociedade de Vida - por João Paulo Silveira, o filósofo



  
                Hoje é uma data muito especial: estamos reunidos para testemunhar a promessa que fazem entre si e para si, Nelson Richter e Polyana Venturela da Silva para celebrarem a sua Sociedade de Vida.
Eles querem partilhar com todos aqueles que são importantes em suas vidas, que sempre lhe serão a companhia certa seja pra comemorar ou pra enxugar as lágrimas, pra ouvir a palavra acolhedora ou apenas um “Conta comigo! Vai em frente! Estamos juntos!”
O momento nos honra a todos e nos dá a oportunidade de juntar nossos melhore votos de que sejam felizes. 
 
               Nelson e Polyana:
                Estas alianças que em breve vocês vão trocar, é mais que um símbolo do propósito que os une, pois elas são a demonstração que fazem um ao outro e para o mundo que agora se tornaram sócios de vida. E é isso o que é o casamento: uma sociedade de vida, pela partilha dos sonhos, de projetos, de esperanças, de solidariedade, de comprometimento, da vontade sincera de serem a força e o amparo um do outro para o que der e vier. E falando nisto, está vindo aí o Ricardo!
Convido a que pensem, e sei que já pensaram nisto: o que leva duas pessoas a buscarem uma sociedade de vida?
A amizade ?
A afinidade de ideias e ideais?
O desejo mutuamente correspondido?
A vontade de somar alegrias, sonhos, planos, esperanças?
O sentimento de desamparo e solidão, tão humanos?
Ou seria, o desejo de juntos se tornarem mais fortes?
Pois tudo isso é o que chamam de AMOR.
Lembrem-se, queridos :
                Nessa jornada que inicia agora, vocês continuarão a ser quem vocês sempre foram e devem permanecer assim, pois o casamento, não significa jamais a anulação de quem somos mas apenas a oportunidade mágica de partilhar, de forma radical, a vida. É bom que não esqueçam que cada um tem o seu tempo e o seu jeito de partilhar esta vida e nem sempre estará pronto com a mesma intensidade e entrega, pois sendo seres singulares vemos as coisas cada um com sua história de vida, com sua personalidade, com suas expectativas. A partilha é um processo. Precisa tempo e adaptação. Sabe aquele silêncio necessário e inadiável? Aquele gosto só seu de comer pão dormido com geleia de feijão às 3 da madrugada? Pois é… nem sempre os seus gostos serão partilhados, mas a mesa, esta sim, poderá e deverá ser.
Vocês não são metades, e esse é o maior dos enganos. Vocês são dois, inteiros e singulares. E é exatamente por serem completos que estão se propondo a partilhar a sua completude com alguém especial, alguém que vai entender, cuidar e respeitar a sua inteireza. Vocês descobriram que ser feliz é muito bom, mas ser feliz com quem já é feliz, é melhor ainda. Por isso querem partilhar a vida, para somar as suas felicidades.
                Sejam cúmplices, parceiros, a confiança e o porto seguro um do outro, pois nada nem mesmo ninguém será capaz de ajudá-los mais do que vocês um ao outro. E como é doce poder contar com esta parceria e cumplicidade.
                Desfrutem-na!
               E se alguma dor se fizer sentir nesta caminha que se inicia, porque a dor existencial é uma condição humana inescapável, lembrem-se ambos que de agora em diante ela poderá ser acolhida, compreendida e dividida.
Não esqueçam que perdoar não é esquecer mas conviver amorosamente com aquilo que julgamos ser a falha no outro. Lembrem-se que qualquer de nossas convicções é sempre de um ponto de vista e isso não corresponde, nem deve corresponder a certezas, pois a única certeza que deveríamos ter é o preceito socrático de que nada sabemos. A dúvida nos move, as certezas paralisam. Só isto já seria de grande ajuda para resolver a maioria de nossos conflitos. E, amados, perdoar não é bondade, apenas, racionalidade.
                 Comemorem a cada dia, fazendo de cada minuto um brinde, das horas uma festa e dos dias a estação das flores, para não esquecer que a alegria não nasce da zanga, a felicidade não nasce da preguiça e a vitória não acontece sem luta. Pois se viver com sabedoria não é uma tarefa fácil, a dois é sempre um desafio, mas é tão doce... tão reconfortante, tão mágico quanto o melhor dos abraços.
Sendo assim, repitam comigo a sua Promessa:
Eu te prometo, a cada dia,
Fazer o meu melhor pra te fazer feliz,
O meu melhor pra te proteger e amar,
O meu melhor pra te respeitar e compreender
Honrando a nossa promessa de Sociedade de Vida.
 
                                         João Paulo Silveira/JP - filósofo, professor, poeta








10 de dez de 2015

Entrar de cabeça nos alimentos é pecado?? Confira...




                     Pois, o tamborim número 1, dos Imperadores do Ritmo, o Cesar Paulo não se conteve. Abriu mão de sua marmita e da comidinha gostosa da sua musa - Terezinha Chocolate.
Era uma manhã fria de agosto e Cesar Paulo rumava para mais um dia de batalha. O seu porte físico avantajado e sua experiência nas tarefas noturnas como agente de segurança lhe garantiam um bom espaço no mercado de trabalho.
                    Ganhava bom salário, bons prêmios de bonificação e muita coisa legal. Trabalhava como segurança particular de um executivo da Capital. Sua rotina diária era uma só. Para economizar uns trocados, o ritmista e segurança César Paulo saia "bem fardado" de terno alinhado, com sua sacolinha e sua viandinha debaixo do braço. Por ser um sujeito "graúdo", a nega Terezinha, sua mulher caprichava   no tempero e na quantidade de comida. Enchia o "tambor" do moreno.
                    Dias desses, ônibus lotado, nosso amigo do samba viajando de pé, no corredor apertado, pois havia embarcado numa outra parada, concentrado nas tarefas que o aguardavam ouviu xingamentos de dois jovens que estavam sentados em bancos reservados para passageiros especiais. Por que?? Incomodavam-se pelo aroma de comida caseira que vinha da marmita do César Paulo. Ironias para um lado, cara torcida para outro. Um deles atreveu-se e falou: "Pô, meu!! Não tinha outro lugar para colocar esta panela de comida??". De forma educada, o César Paulo respondeu que não estava destratando ninguém. Respeitosamente,  respondeu que estava indo ao trabalho com seu uniforme, sua calma e comidinha de sua patroa. O outro jovem, mais arrogante, respondeu de forma agressiva: "Pô, nego véio vai comer ração canina?? Pelo cheiro que vem desta marmita, vai tratar o cãozinho da madame".
                   O César Paulo contou até 30 e de forma silenciosa, não revidou a provocação. Lastimando que, o passageiro idiota e provocador não teria respeitado a "milagrosa e saborosa panqueca da nega Choco - como ele chamava sua mulher. Desta vez, em coro, os dois malandros, lascaram uma piadinha: "como pode um homem deste tamanho, levar lanchinho na merendeira??". Bastou. Paciência tem limite. O César Paulo simplesmente "jogou" a marmita na cabeça de um dos folgados. Era panqueca para todos os lados. Gritos apavorados. Choros, sangue, bofetada e muito galo na cabeça. Os jovens não acreditavam que aquele senhor. Respeitoso senhor, perderia a classe com as piadinhas. Aos gritos ELE dizia aos  jovens "abro mão das minhas panquecas e da minha marmita de valor estimativo em troca de um pouco de respeito".
               Assim, cheios de galos na cabeça os "folgados" foram convidados a descer do onibus queixando-se da dor e da vergonha que passaram. Do lado do César Paulo que continuou a viagem, restaram a fome e o alivio pela decisão tomada. Perdeu a marmita, mais ganhou meia dpúziasvergonhacom a certeza da fome, mas aliviado com as reações adotadas.

7 de dez de 2015

Comemorar aniversário é tudo de bom!!!



                Sempre é muito prazeroso comemorar aniversário. Opinião pessoal. Seja em um jantar à luz de velas com a pessoa amada, num churrascão com os amigos do futebol (cada um leva seu quilinho), ou na  suculenta macarronada da sogra, no chopp com o pessoal da Firma, no pagode no boteco do seu Zé, no piquenique com o familião, enfim VALE TUDO PARA CELEBRAR mais um ano de vida.
             Minhas experiências pessoais ao longo dos anos também registraram muitas marcas. Algumas muito boas e inesquecíveis e outras nem tanto. Nascido em dezembro, próximo ao Natal, já não ganho dois presentes há muito tempo. Coisas do mundo econômico.
Quando completei 15 anos de idade, liderados por um grande amigo, Zé Carlos Quadros - "o poeta", um grupo de amigos adolescentes, entre homens e mulheres, organizaram uma festinha surpresa na minha casa. E qual a novidade da festa! As rosas brancas que recebi. Isto mesmo: ROSAS BRANCAS. Já imaginaram tal situação em 1981!! Coisas da sensibilidade e generosidade do tal poeta.
               Algum tempo depois, numa outra comemoração, a Paty, minha adorável  companheira reuniu parentes e amigos para uma comemoração especial. Destaco três motivos marcantes: o principal deles foi o fato deste encontro ter sido o último convívio com minha querida Carminha - minha mãe; o segundo foi a Paty ter reunido amigos que não via há muito tempo e que raramente se encontravam; e o terceiro motivo foi a criativa decoração do espaço. Com balões brancos e fitas douradas suspensos pelo lado contrário no teto do salão. Espumantes gelados e comidas deliciosas. Coisa chique, afú.
               Numa outra oportunidade preparamos um galeto e "convocamos"  centenas de amigos. Como ocorre nas redes sociais, apareceu uma dezena, Resultado: Por dois meses, percorri semanalmente as ruas da minha casa ofertando risoto de frango aos moradores de rua. Valeu muito a pena. Coisa novas pessoas e novas histórias. Chega um tempo de compartilhar alegrias e despesas. As comemorações por adesão. Cada um paga suas próprias despesas e confraterniza de forma coletiva. Coisa muito boa em tempos bicudos. 
               Decidi então, reservar algumas mesas no Boteco Tipo Exportação (rua Lima e Silva, 898 - Cidade Baixa), no dia 20/12/2015, a partir das 19h30min, para comemorar meu pré-cinquentenário. A animação fica por conta do meu amigo Carlinhos Presidente, idealizador do Natal solidário, neste mesmo dia e local.
             Vamos?? O sambista irreverente e "cheio de graça"(como Ave Maria) Carlinhos Presidente promete balançar o boteco com um repertório de sambas autorais e os clássicos que toda boa roda de samba deve ter.
           Não aceito desculpas...Todo mundo lá, como dizia o slogan da Cervejaria famosa em Porto Alegre.

Edinho Silva 

Serviço:

Convites antecipados: R$10,00 (via facebook / https://www.facebook.com/carlos.bernardes.7169?fref=photo ) + doação de brinquedos no dia = ingresso para o Samba do Presidente + cd autografado + abraço do Edinho Silva

28 de nov de 2015

Afinal, qual é o Dia Nacional do Samba?


              imagem extraída do site: http://www.bahia.ws/samba-de-roda/
           

                 Nos últimos 10 anos já escrevi muita coisa sobre o tema. Os registros que encontrei falam que nasceu na Bahia, outros dizem que nasceu no Rio de Janeiro. Alguns falam que o primeiro samba foi “Pelo telefone”, uma composição de Donga. Enfim, discutir quem pode ser considerado o “pai da criança” nos momentos difíceis que a cultura popular enfrenta é mero detalhe. Num momento em que, as rádios pelo Brasil “preservaram” nosso querido samba, dando espaço a outros ritmos, frutos dos interesses do mercado(?) e do show bussines – este monstro silencioso que nos engole e entende como normal a apropriação do patrimônio cultural alheio devemos PROMOVER CADA VEZ mais toda e qualquer iniciativa na direção da preservação e exaltação deste legítimo  elo de ligação que atravessa fronteiras ligando Oiapoque ao Chui. Falei demais?? Acho que não. Sabemos identificar quais as regiões brasileiras cultuam o vanerão, o xote, o forró, a moda de viola, axé, o sertanejo. Porém, é o samba que desembarca com a mesma força em todas as rodoviárias do Brasil. Atravessando os tempos com os formatos tradicionais e clássicos (Monarcos, Cartolas, Adonirans, Geraldos, Ranchão, Lupicinio Rodrigues, Serginho Meriti, Wilson Ney e tantos outros brasileiros) até mesmo os criativos compositores da “nova” geração como Arlindo Cruz, Moisés Marques, Rodrigo Maranhão, Leandros e tantos outros.   
            Não conheço “de perto” a cena sambista, mas a de Porto Alegre acompanho bem. Reconheço ainda, que cada Estado e Região tem sua forma peculiar de tratar sua Cultura. O mesmo ocorrendo com as ações de entretenimento e demais manifestações populares. E nossa aldeia e tribo também tem suas particularidades. Se alguém organiza um samba na calçada, por exemplo, logo o público se movimenta. Em pouco tempo surgirão vozes para inibir tal iniciativa. Imediatamente, todos se dispersam para uma nova roda de samba. Se “caiu uma”, daqui há pouco haverá outra. Tá certo, isso?? Tá errado, pois não há nenhum esforço COLETIVO de resistência. Se um sambista novo aparece no pedaço, sempre surgirão críticos com a famosa pergunta: “Este cara de pau é um dos nossos??” Ora, se o samba deve ser agregador, independente da cor do cabelo e da pele, da marca do instrumento, da afinação “da cantoria”. Se o movimento é dito popular, que assim seja mantido. SEM DONO, sem regras, sem os pecados capitais à frente. Basta ser tolerante com teu próximo, se te instrumento e não sabe tocar?? Procura aprender, pois assim não atrapalha. Vai ficar de fora?? Claro que não. Vá estudar, compartilhar conhecimento com quem chegou antes no pedaço. Na maior humildade, tem muita gente boa espalhada pela Cidade que divide seus conhecimentos na maior camaradagem. Enquanto isso, acompanha na palma da mão e vai treinando para exibir seu aprendizado.
            É feio carregar o instrumento sem saber tocar?? Claro que não. Chato mesmo é não ter a nobreza de buscar conhecimento. É ruim não saber cantar uma dúzia de sambas?? Claro que não. Condenável mesmo é NUNCA ter ouvido falar nos mais populares. Constrangedor é conhecer toda a obra do Noel Rosa e nunca ter ouvido um samba do Nelson Rufino ou do Toninho Geraes.
            E o dia de samba lá do início do texto?? Na minha opinião deve ser como todos os outros dias. Dia da Consciência Negra, da Mulher, do pai, da mãe, do Marceneiro, do São Jorge, da Criança, da OXUM, da bandeira, do Músico, do Xangô e tantos outros. Tirando o apelo comercial das comemorações, devemos celebrar todos os dias uma coisa: a VIDA. E o samba?? Também. Afinal, representa um belo ingrediente para torná-la mais leve. #tododiaédesamba
            Quando os iluminados Sereno, Adilson Gavião e Robson Guimarães compuseram “A batucada dos nossos tantans”, samba imortalizado na voz do grupo Fundo de Quintal,  que dentre muitas expressões destaco  “...É bonito de se ver, o samba correr, pro lado de lá, fronteira não há, pra nos impedir, você não samba mas tem que aplaudir...” ratifico minha relação com “o moço”.

Edinho Silva

No próximo dia 02/112/2015, quarta-feira, estaremos no Porto Boteco Alegre (av. Érico Veríssimo, 627 - Menino Deus), a partir das 19h30min conversando e SAMBANDO com convidados especiais. Gravação do programa Armazém do seu Brasil e depois uma roda de samba com o grupo Seu Samba.

13 de nov de 2015

Quando sonhamos sozinhos é apenas um SONHO. Quando sonhamos de forma coletiva, VIRA REALIDADE...

                
                 A letra do samba que "...um mundo com mais educação, pode garantir um futuro melhor..." Diz ainda que "...Cultura, igualdade, liberdade no direito de ir e vir...meu respeito ao Instituto Federal, minha ciência por você é comprovada..." Eu concordo com o carnavalesco.
               Diariamente percorro aproximadamente 60km em busca de conhecimentos, novas vivências, troca de saberes, energias, boas piadas, novos desafios, alguns desapontamentos, enfim, movimentando a "rota pessoal de cultura". Estou me referindo aos meus estudos sobre lazer e desporto que realizo com meus colegas e professores no IFRS/Restinga. Isto mesmo, de "boca bem cheia" anuncio aos quatro ventos minha satisfação em ser um dos alunos da primeira turma de Gestão Desportiva e Lazer, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.
                 Participando de um grupo heterogêneo de alunos que mescla experientes de 18 e jovens de 67 anos, docentes de alto nível acadêmico que desfilam teóricos clássicos e contemporâneos, em debates constantes de discussões que, em muitas vezes contrariam minhas posições pessoais, porém provocam e desafiam a que eu busque aprofundar meus conhecimentos para "ou reforçar meu ponto de vista ou revê-los". Discutir o direito constitucional ao lazer sob os mais diferentes aspectos.                
               Refletir sobre a concentração do poder, show bussines e os investimentos no esporte de alto rendimento. E num segundo momento ter acesso a Projetos de Pesquisa e Extensão, Projetos Sociais e à realidades e discussões com temas como vulnerabilidade social, econômica, física, emocional e por que não conceitual?? O acolhimento dos servidores da Instituição, a atenção da galera da Biblioteca, a conversa franca com os docentes, circular pelos corredores e "esbarrar" no Diretor e no Diretor de Ensino e o DESAFIO MAIOR de buscar uma qualificação acadêmica Superior numa Instituição de Ensino Federal numa Comunidade de Porto Alegre, de fato não tem preço!!
Perdoem, meus amigos diletos...e sem entrar no mérito de bandeiras partidárias, mas não posso deixar de VIBRAR com a iniciativa das Políticas Públicas de Educação dos últimos tempos. CURSO SUPERIOR na "TINGA" é TUDO!!! 
              Precisa dizer mais?? Precisa...FELICIDADES, IFRS/RESTINGA e que venha mais 45 anos de vida plena, formando cada vez mais acadêmicos e qualificando através do "grande caldeirão" de saberes que são suas salas de aula.
           Que a União da Tinga, a segunda escola de samba do bairro, e forte ferramenta de cultura popular local possa ter toda a luminosidade na avenida como nós temos em sala de aula.
#toorgulhosodemais

Edinho Silva - acadêmico de Gestão Desportiva e de Lazer e Presidente do CAGEL

https://www.youtube.com/watch?v=_L62YOyn9FY#t=382

10 de nov de 2015

Afinal, "Santo de Casa faz milagre" ou não?? Com a palavra o produtor Luis Fernando Silva




As andanças próximas à música popular brasileira (ou Música Pra Pular Brasileira, como chamava um Projeto de Verão do pagodeiro universitário Guilherme Alf, do Na  moral...lembram??) me apresentaram o Luis Fernando Silva. Produtor artístico e "agitador cultural" que à época trabalhava na Produtora Nova Hera, do saudoso Paulo César. Numa festa conhecida como o Revellion da Rádio Cidade FM, quando os melhores grupos daquele momento reuniram-se na quadra dos Imperadores para celebrar com o público o melhor do samba da época nossa apresentação foi ampliando-se.
Como nos dias atuais, a cena artística do RS não era muito diferente. Muitas bandas, inúmeros artistas, gente que brilhava, outros pensavam que brilhavam. Alguns ofuscavam, outros reclamavam. Os do "Centro do País", como ainda acontece nos dias de hoje eram os "queridinhos" e lotavam as casas locais. E quando tocavam os NOSSOS para NOSSA Gente?? O crítico público da terrinha torcia o nariz. Era preciso passar uma temporada em São Paulo, por exemplo, para retornar com uma chamada de "atração nacional"?? Parece engraçado, mas é a pura verdade. Era necessário "carimbar" o passaporte em alguma apresentação para depois voltar aos palcos gaúchos.
Pois, o inquieto Luis Fernando,  perseverante como poucos,  insistia em realizar um Projeto Musical que oportunizasse os grupos novos na cena e contemplasse os que de alguma forma haviam marcado a história da música do RS. Em meio aos seus pen drives, discos e pensamentos teve uma idéia luminosa: "Por que não lançar o volume 4 da Coletânea Sul, Samba & Swing?" Compartilhou seu sonho com várias pessoas e, entre elas, comigo. O Edinho Silva, do Armazém do seu Brasil. Completamente atarefado (como sempre) não pude contribuir com a intensidade que desejava, porém, queria colaborar de alguma forma. E assim, fui rabiscando o texto intitulado "Santo de casa faz milagre sim!!" para ilustrar a contracapa do cd.  Como referi em postagem anterior http://armazemdoseubrasil.blogspot.com.br/2015/10/o-criador-ta-olhando-hein.html o tão aguardado dia chegaria. E chegou. Com um simpático sol, delegações vindas do Interior do Estado para prestigiar o lançamento do disco, curtir seu grupo afetivo e sambar muito ia aproximando-se próximo à quadra da Saldanha. Infelizmente, por normas do anfitrião ou problemas na comunicação, foram identificadas algumas situações de desconforto, pois algumas pessoas não puderam acessar os espaços da Banda da Saldanha, mesmo tendo viajado muitos quilômetros para chegar até Porto Alegre. Isto "ofuscou" o brilho da festa?? Que nada!! Na companhia do Diego Cimirro, o responsável pelo backstage do evento pude conhecer um pouco da história do Saulo Marques, do colorado "seu Saraiva" que com sua família e amigos não via a hora de ingressar na Saldanha e "largar" a costela bovina da Fronteira nas brasas. Conheci também uma parte do grupo Nosso Stylo. E como sempre, o "eletrizante e competente" Paulinho Boy - o produtor mor de palco, nos acompanhava no acolhimento aos convidados do Interior. A hora foi passando e logo em seguida, com a chegada do Sérgio, representando a Banda da Saldanha, juntamente com a atenciosa galera da segurança e os demais integrantes da "fábrica de entretenimento popular" que transformou-se a Banda da Saldanha originalmente, criada pelo Pedro Diogo e de forma talentosa conduzida pelo Dioguinho. Reencontrei pessoas que não via há muito tempo. Por exemplo, o atencioso comunicador Paulo Vidal, uma das vozes marcantes da inesquecível Rádio Metro, que faria a apresentação das atrações do dia. O Bi Fernando, que atuaria na coordenação do palco com toda sua larga experiência na área da produção. Conheci gente também. O Serginho, primo do Luis Fernando, que apoiou o grupo que coordenava o acesso dos convidados da "festança".
Por conta de outros compromissos pessoais não consegui acompanhar o desenrolar da festa e conferir de perto a performance dos Medinas & Cia, com o seleto desfile de clássicos imortalizados na voz do pai. O reencontro no palco, do Odir e do Vidal (putz, que saudades!! De algum lugar o Roxo e o Delmar Barbosa estava rindo à toa!!!). Não consegui assistir a apresentação do meu bruxo Juliano Barcelos sendo acompanhado pelo cavaco do Alemão Charles (registro que onde vejo Alemão e o Reloginho do pandeiro do Sambeabá, lembro com saudades do Dadinho do Samba Quente). Não pude abraçar e cumprimentar o Matheus Santos pela força com que defende os sambistas locais em termos de divulgação. Não pude aplaudir o amigo do seu Saraiva, Saulo Marques. E direto do Alegrete o estiloso Nosso Stylo. Os Sambavox e os Arteiros. E meus conterrâneos, Dhamballá?? Terei que ir até os Zíngaros para conferir de perto. Não esqueci dos parceiros do Lua Cheia, de Pelotas. Quem me encontrou pela manhã conseguiu perceber minha homenagem ao swing da "princesa" Pelotas. Vestia uma camiseta do Xavante, bem no estilo do Seu João do Armazém. Faltou alguém?? Muita gente, porém registro meu pesar em não ter acompanhado o Dequinho na companhia do metal do Pastel.
Repetindo a pergunta: Faltou citar alguém?? Sim. O Diretor Executivo Junior Santanna da Silva, o Juninho da Reversos. Filho mais velho do Luis Fernando. Como podem perceber, possivelmente a função foi um sucesso porque foi selada por familiares e amigos. Conheci também o Edison Da Rosa Moncorvo (da Invoga).
Quais serão os próximos passos?? Acredito que outras festas de lançamento. Um passarinho me contou que a agenda é a seguinte: dia 28 de novembro em Bagé, dia 12 de dezembro em Livramento, dia 19 de dezembro em Porto Alegre, janeiro e fevereiro na praia. É isso, Luis Fernando??
Por favor...me respondam honestamente: "Santo de casa faz ou não milagres??"
Parabéns a todos envolvidos e até breve.

Edinho Silva

Em tempo: Quer conhecer o texto citado "Santo de casa faz milagre"?? Adquire o disco e te delicia com o repertório escalado.

4 de nov de 2015

Aniversário do Porto Boteco Alegre - O Sombrinha prometeu fazer até o "Laçador" sambar



             De fato o tempo voa. Parece que foi ontem. Éramos todos jovens. Uns mais, outros nem tanto. Enfim, um "sambinha bacana" nos aproximava. Os caras haviam vencido a etapa Pagode do Chance do Diarinho. Isto mesmo!! O Cantakgente, um grupo de guri de apartamento misturado com uma galera de peso da Tinga (que atuava como banda de apoio) era o que bastava para explodir as noites do Cord com seu Pagode Universitário. 
             Em 2014, o grupo já não existia mais. Muita água rolou sob a ponte e as boas lembranças e amizades são as coisas mais bacanas que restaram. Em especial, o Fernando Maeda, sujeito de poucas palavras e muitas ações e o Rodrigo Bronquinha - um "sobrinho", afilhado, amigo, confidente...sei lá como tratar me proporcionaram uma surpresa bastante agradável - o tal Porto Boteco Alegre.
          Lembro que, quando comentavam sobre a idéia do nome e proposta cultural do bar, nossa conversa parecia uma reunião de uma agitada agência de publicidade. Era idéia de todos os lados. Só EU desembarquei com dois cardápios prontos, algumas sugestões de programação, folders de espaços culturais da Cidade. Verdadeira loucura. Acompanhava tudo de perto. Vi os caras subir no telhado, lixar paredes, negociar com fornecedores, bandas, fazer contatos com os clientes. A ousadia os forçou a fornecer almoço. Aliás, já experimentaram o rodízio de A la minuta do Porto Boteco Alegre?? Até o Laçador fica com água na boca.
            A seguir veio o desafio do conceito de "o novo espaço de samba da Cidade". Erros, acertos, os melhores sambistas, outros nem tantos, uma banda, duas ou três bandas, atração local, numa outra oportunidade atração nacional. Enfim, o Porto Boteco Alegre lentamente iria "escrevendo" seu nome na cena sambista da Capital. Nos dias 21 e Bronquinha, com o Laino e a equipe na retaguarda foram buscar o emblemático sambista carioca com nome de ator americano. Ninguém menos do que SOMBRINHA, direto do Rio de Janeiro, dos áureos tempos de Fundo de Quintal e da dupla formada com Arlindo Cruz.
            Quando a notícia ganhou as ruas, o telefone do bar não parou mais de tocar. Coisa boa, não?? E para provar que todo dia é DIA DE SAMBA no Porto Boteco Alegre e que "...é sempre assim...tem noites que não sei o que é dormir...é hora de toda a tristeza se acabar!!". Não pensa muito. Te joga no samba. A noite promete e para não comprometer o atendimento seleto de todas as noites, os ingressos são limitados.
             Vamo?? Eu vou......\0/\0/\0/\0/\0/


https://www.youtube.com/watch?v=hpvs2f3Hc28&index=3&list=RDAaYyVFTxuls

3 de nov de 2015

Por que não usar uma "Bonder"? - Handebol na UFRGS em alta




              Há mais ou menos 3 anos venho acompanhando o handebol universitário na UFRGS. Quem me apresentou ao desporto foi o acadêmico, futuro educador físico, atleta(?), conhecedor das manhas do esporte, "inflexível" e estudioso Guilherme Caporal. Após acompanhar a performance das equipes masculina e feminina da UFRGS em competições como a Copa Unisinos, JUGs, Competições locais e estaduais e principalmente, nas duas edições dos JUBs 2014 e 2015 pude perceber por que tanta gente gosta de jogar o esporte da bolada pequena e cola nas mãos.
        Na edição de 2014 dos JUBs, em Aracajú/SE,  NOSSA equipe enfrentou algumas adversidades.A forte temperatura, o modelo de bola e algumas situações delicadas no comando da arbitragem dos jogos reforçaram a força das equipes adversárias para as coisas complicarem. Felizmente, um coletivo de garra e fibra que enfrenta desafios como a Copa Mercosul, na Cidade de Santa Maria - um dos redutos do handebol gaúcho - com a cabeça no alto, os pés firmes na quadra e a pontaria afiada na goleira adversária, não deixaria "barata" a derrota no certame universitário nacional. Não deu outra. A equipe masculina que representou o RS deixou sua marca na cidade sergipana. Na quadra, nos treinos, nas areias e no quiosque especializado em feijão tropeiro. Tudo na maior harmonia e afinidade.
              Chegou 2015 e com ele uma agenda lotada de compromissos. Destaco os JUGs 2015 - a fase classifcatória para os JUBs. A edição deste ano aconteceu na cidade de Pelotas, na adocicada e energética capital mundial do DOCE. Fui escalado para acompanhar as delegações de Basquete, Xadrez e Handebol da UFRGS. E a Competição como foi?? Alguma doçura?? Nada. Confrontos de altíssimo nível técnico. No Xadrez, não tivemos muito sucesso, porém nas modalidades de Basquete e Handebol, ambos masculino, fomos disputar as partidas finais com as competentes equipes da UFPEL. As equipes da FEEVALE encostando no pára-choque traseiro dos finalistas.
         Particularmente, na viagem de ida já percebia o alto astral que habitava o grupo. Jovens acadêmicos animados pela tarefa de representar a Universidade e conviver entre amigos, transformavam o barulhento ônibus em verdadeiro transporte coletivo de seminaristas, quando algum recado importante seria dado ou alguma manifestação motivadora seria compartilhada. Da "nega maluca" e de um outro bolo que não lembro aos sucos e goles quentes de chimarrão que rodavam no ônibus tudo era sinônimo de parceria. Em Pelotas, repetiam-se a solidariedade e companheirismo. Nas quadras, na pizzaria e na fábrica de doces (direto da escola confeiteira de Portugal). Resultado de tudo isso?? Nosso time masculino classificado para o JUBs 2015, em Uberlândia/MG.
           Para atender as duas demandas - Copa Unisinos e JUBs o grupo foi fragmentado. Em São Leopoldo, uma representação guerreira.  Literalmente, transpirando sangue na quadra. E nas terras mineiras como foi nosso desempenho?? Infelizmente, não ocorreu o que esperávamos. Algumas lesões antes do embarque, outras durante a Competição o que não impediu de repetirmos o desempenho da edição anterior. Permanecemos na divisão que disputamos no ano passado e mostramos  que no RS se joga HANDEBOL. E muito!! E a cola nas mãos e na bola?? Não fica "pra sempre". Sai com gelo ou esfregando na sola do tênis.
             E os doces de Uberlândia?? Os de Pelotas são infinitamente melhores.
                 Eu gostei muito da parceria....

Edinho Silva     

2 de nov de 2015

Papel higienico; o melhor amigo do Homem




            O famoso e bem sucedido arquiteto gaúcho João Guilherme Silveira participava de um Congresso Nacional sobre "Decoração de interiores", em Aracajú/Sergipe quando foi surpreendido por uma situação inusitada.
           O evento que durou 10 dias tinha uma variada proposta de temas e uma agitada "agenda gastronômica" na programação cultural. Um verdadeiro desfile de comidas típicas e temperos exóticos da região. Rolava de tudo. Da feijoada mariscada até o cuscuz com carne de sol.
           Ao chegar no Hotel, após a farta janta, de forma apressada foi direto ao banheiro do seu quarto "depositar suas lembrancinhas" que fizeram  sua barriga roncar por breves minutos. Suando frio, relaxou "sujando toda a louça" do sanitário. Ao buscar o papel higiênico não encontrou "ninguém em casa". Putz!!! E agora, o que fazer?? Suando muito, conseguiu forças para chamar pelo celular seu amigo Huguinho que estava na recepção do hotel e às pressas veio lhe socorrrer. Resumo da ópera, como o arquiteto costuma dizer: "Por um detalhe não ficou com uma mancha em sua história".
            Coisas da vida e cada um cumprindo o seu "papel". Né, mesmo??

29 de out de 2015

De SEGUNDA à CESTA - Basquete da UFRGS



                 Participar de um evento com a dimensão do JUBs por si só já é uma coisa muito bacana. Afinal, o que é um JUBs?? Jogos Universitários Brasileiros - Um grande evento universitário que ocorre anualmente, onde são disputadas diferentes modalidades esportivas (coletivas e individuais). A cada edição a CBDU, principal organizadora, juntamente com o Comitê Local e seus colaboradores "capricham" nos preparativos. Mínimos detalhes são considerados para que o desfecho seja o melhor possível. Delegações dos quatro cantos do Brasil reunidos nos mesmos espaços. A cidade e Estado Sede (um diferente em cada edição) para.
                Em 2015, a cidade mineira recebeu os Jogos e os atletas do RS (boa parte deles vinculados à UFRGS). No primeiro semestre, ocorrem a etapa regional (JUGs) de onde são conhecidos os representantes da etapa nacional. Repetindo outras edições, em 2015, o nível técnico da modalidade de Basquete, por exemplo, foi altíssimo. Os jogos ocorreram na cidade de Pelotas, acolhidos pela turma de professores e atletas da UFPEL. Na ocasião, ocorreram jogos eletrizantes culminados na vitória maior da equipe da UFRGS, dirigida pelo Leo Ximenes, um estudioso jovem técnico caracterizado pela discrição, ousadia e controle absoluto sobre seus atletas. Com sangue gaúcho lá de Santana de Livramento consegue "sacudir" sua turma apenas com um olhar.
               Mais uma vez, fui contemplado pelos colegas de trabalho a viajar e assessorar as equipes e os atletas da UFRGS (ano passado fui à Aracajú e este ano viajei à Uberlândia). Foi difícil?? Mais ou menos. Na condição de oficial dirigente, recebi muitas aulas dos mais experientes colaboradores da FUGE e pude conferir de perto a emoção e o entusiasmo das disputas com outras equipes. Outro dia, falo sobre as demais equipes que nos representaram. Prometo.
               Hoje falarei do Basquete da UFRGS. O atleta de handebol e treinador técnico do basquete feminino Paulo Morosino recebe o apoio da colega educadora física Patrícia Barbosa. Juntos, comandam as ágeis Coral, Salime, as Gabi, a Helô, a Iasmini e a  inquieta Pollyana. E assim, aos gritos motivacionais, abraços parceiros, xingamentos e sorrisos mantiveram-se na mesma Divisão e destaque conquistado em 2014.
             E os guris?? Putz. Turma pesada "de tão boa". O Gava no suporte ao Léo. A parceria dos Vinis. A voz alta do Diego. A versatilidade dos abridores de garrafa do Caco. Os Thiagos colocando velocidade nas jogadas. O Afonso na cobertura. O Gabriel Biju no rebote e o "quase" tresloucado do Rodrigo - eleito o estilo mais ousado dos JUGs na indumentária. Duvida?? Camisa de Vitor & Léo,  numa combinação com chinelos de dedo do seu Juca - o melhor vendedor de rapaduras da feira livre de Araguari. Cestas para todos os lados, acordes de violão na mesma intensidade, abraços, parcerias, compromissos firmados, bananas misturados com energéticos, roncos, flatulência, gelo no isopor micro. Vitórias e conquistas, esbarrando apenas na competente equipe carioca - a primeira colocada no certame e na modalidade. Assim resumo uma rápida e  marcante convivência. Da SEGUNDA Divisão para a principal categoria do desporto universitário entre CESTAS de 3 pontos. Será que aprendi alguma coisa sobre Basquete?? Claro que não...Fiz amigos e compartilhei energias. Valeu Basquete da URGUÊSSSSS!!!!

Edinho Silva

Em tempo: Enquanto estávamos em terras mineiras, uma outra parte do grupo seguia nos representando pelo experiente professor Mário Brauner e pelo nosso eficiente colega e fisioterapeuta Maxel apoiava nossa representação na COPA UNISINOS, em São Leopoldo.

24 de out de 2015

Quer se movimentar com ritmos brasileiros?? Vem para a função da FIEP/RS




           O que podemos fazer para movimentar o esqueleto com ritmos, graça e energia?? Uma aula de dança com os amigos e ousados instrutores. Errei? Sim. Faltou anunciar a assinatura e a grife do evento. Sob o comando dos professores Fernando Saraiva (Delegado adjunto da FIEP) e Everton Deiques (Delegado regional da FIEP) e a coordenação do evento do professor MIKE (Coordenador de evento da FIEP) o Clube Caixeiros Viajantes irá ferver nos próximo dia 14/11, a partir das 9h.
          Do Batucalê do professor José Anchieta ao gingado do Sacode Brasil, do professor Jacaré os espaços acolherão as mais energéticas manifestações do fitness e dos ritmos do Estado, de diferentes instrutores. A certeza é única: Ninguém fica parado!
           Não perde tempo, a procura tá crescendo e as vagas são limitadas...quem correr vai se "mexer com ritmos".  Eu garanto...  
            Eu e a galera da FIEP esperamos todos, vocês!!
                
                Edinho Silva
 
 

22 de out de 2015

"O criador tá olhando, hein??"



O Criador deve estar cheio de tarefas nos últimos dias. O mundão tá doido. Preferi escrever sobre algo que está a nosso alcance e com isso aliviar o "homi" de algumas manobras. Nós que, mesmo indiretamente, trabalhamos com música, cultura e arte, desejamos dar visibilidade a "produtos, criações e manifestações" e, acreditem, ralamos muito para tornar real o sonho de muita gente.
Faço isso de graça?? Claro que não, pois afinal considero TRABALHO qualquer movimento, idéia ou Projeto de negócios. Enquanto isso não chega, em alguns momentos existe a possibilidade do escambo cultural - a velha troca entre parceiros para que ao final todos LUCREM DE FORMA IGUAL.
Outro dia, conversava com meu parceiro, Edgar Santos, da Revista Enfoque Musical de São Paulo sobre estes assuntos. O artista quer e precisa brilhar. O fã precisa ter acesso aos novos trabalhos e resgate aos antigos sucessos. O dono do bar e o promotor da balada precisa arrecadar e manter sua casa e sua festa atraente. E quem trabalha, diminuindo estas distâncias, Onde fica?? Minimamente, o músico e/ou banda precisa e deve fazer sua parte junto ao seu público, ajudar a divulgar seu trabalho.
Há algumas semanas fui prestigiar o bom balanço do Kaubi Tavares, um dos meus swingueiros preferidos de Porto Alegre, que na companhia do Senzala DF sacudiram um "pico do Portinho". Era noite de swing na agenda lá de casa. Como sou um sujeito anônimo, transito com desenvoltura nos locais e, dessa forma, fui com a "patroa" numa outra casa, na mesma noite, conferir o Swinga Brasil.  balanço dos dois grupos, entre outros da Cidade são marcas do balanço de Porto Alegre. NÃO OUVI NINGUÉM FALAR AO MICROFONE SOBRE A COLETÂNEA. Confesso ter ficado desapontado!!! Parece que o que escrevi, não é real..."Santo de casa, não faz milagre>>>"
Quando meu amigo e parceiro Luis Fernando Silva, produtor artístico e idealizador da Coletânea Sul, swing e samba, que reúne nomes que marcaram época a novos talentos do cenário sambista gaúcho não tive dúvidas. Ao receber a lista de nomes que estariam garantidos no trabalho não tive dúvidas. Escrever sobre a obra e o trabalho do Dequinho do Swinga, do Juliano Barcelos, do Matheus Santos e todos os envolvidos na Coletânea é bem fácil. Talento puro.
O resultado do trabalho com a parceria do Paulinho Bom Ambiente que assinou a arte da imagem da Coletânea e do disco (e de todo material de divulgação), da parte técnica do Batata, que abriu as portas de seu estúdio e contribuiu para a escalação dos trabalhos musicais apresentados (onde temos o Grupo Lua Cheia, por exemplo...Bah!!), mais todo "o corre" do Fernando acionando seus diferentes contatos foi muito satisfatório produzir o texto da contracapa do disco.  Faltava um local para a festa de lançamento e divulgação da Coletânea? O Diogão e o Dioguinho Fonseca, abriram as portas da Banda da Saldanha para no próximo dia 08 de novembro, a partir das 12h, com amigos, cerveja gelada, churrasco e muito swing e samba dos quatro cantos do RS.
Mas afinal, o que falta para o Projeto alcançar o sucesso esperado e oportunizar mais apresentações nas agendas dos envolvidos?? SINCERAMENTE, falta um pouquinho de empenho dos "diretamente" envolvidos. Enquanto alguns planejam montar palquinho na esquina democrática, bancam camisetas e banners, organizam excursões e ações entre amigos, outros sequer comentam com seus familiares a novidade da Coletânea estar nas ruas. E os recados nos microfones ou venda ao final das apresentações nas agitadas noites de Porto Alegre?? NEM PENSAR.
Moçada!! Artista famoso não pode descer a Rua da Praia sem ser conhecido ou até mesmo ir no Mercado Público. Nós TODOS (me incluo), ainda habitamos a van do ANONIMATO. Mesmo trabalhando com música há 15 ou 30 anos, ninguém nos conhece além de meia dúzia de bares e salões. Ninguém nos pede foto, nem autógrafo. SE NÃO ACREDITARMOS NAS NOSSAS COISAS E nas nossas relações de amizade para compartilhar NOSSA COLETÂNEA, ficaremos envolvidos com apresentações e NUNCA COM SHOW. O que tem uma baita diferença.
Bora lá, divulgar nosso trabalho. #DEUStávendo

Abração,

Edinho Silva

21 de out de 2015

Dia 21/10 - Dia Internacional da Morena, né Karol Venturela??







          Quando o cantor consagrado quando canta seu hit de sucesso referindo uma tal Carolina. Eu não erro. Acerto na mosca. Nos primeiros acordes do violão do cara já associo "...uma menina bem difícil de esquecer, maravilha, feminina, meu docinho de pavê...Sensual e inteligente...". Parece coisa de pai babão, não?? Tenham certeza. É pura paixão na direção das mulheres que preenchem minha vida.
            Pois, a morena sonhadora, inquieta, amante da leitura (SQN), criativa, indecisa, de pouca paciência, ousada e afetiva está completando 22 aninhos hoje (21/10). Uma postagem apenas seria pouco para descrever nossa conexão (que tenho certeza não é desta vida!). Quem conhece o clássico livro de Umberto Eco - O nome da Rosa, sabe do que estou falando. A história de nossa relação de amizade e afeto poderia ser retratada numa obra de inúmeras páginas, com idiomas diferentes e linguagens diversas. Mas escrever algumas linhas me fazem chorar em público num ambiente de trabalho cercado de pessoas estranhas, em outro Estado, imaginem descrever as inúmeras passagens de nossas vidas??
             A mesma "pessoinha" que afastou com seu pezinho, ainda criança, meu corpo numa cama improvisada e dormir de conchinha como velhos conhecidos mantém a parceria para dividir uma cerveja quando o nosso time do coração joga, ou compartilhar um saco de pipoca vendo um filme brasileiro no sofá da nossa sala. E até mesmo divergir e, de forma contundente, defender seus posicionamentos e pontos de vista. Aceitando o "secreto desafio" de refletir sobre a vida, o comportamento humano e suas inquietudes. Ao fim, descubro que somos pessoas diferentes e ao mesmo tempo, PESSOAS COMPLETAMENTE IGUAIS. Da bagunça dos armários à criatividade nas expressões e produções.
            Se um dia, diante do sambão da Velha Guarda da Portela, abraçada disse no meu ouvido "...ouvir o seu Monarco e seus amigos, sem a tua companhia não teria graça, meu véio!!". Lembra da vez que nosso amigo Gandolfi, nos convidou para "beber umas e comer com o Jorge Vercilo depois de termos conversado com o cantor?? Na oportunidade, me respondeste que o artista era EU. A janta era dos caras e tu querias compartilhar uma pizza legal com o TEU ARTISTA LEGAL. Precisa mais?? Precisa. Sim...preciso parar de escrever e de chorar...
       Beijo, TE AMO e daqui há pouco estaremos juntos para comemorar com um chopp bem gelado.
       Felicidades, Morena.
















https://www.youtube.com/watch?v=VwBIVWX8YtQ

12 de out de 2015

Dá-lhe...Pandeiraçooooo!!!

             

         O mestre Gonzaguinha nos deixou um legado de muitas preciosidades. Uma delas traduz a divina e nobre incumbência de saudar a energia entre as pessoas, afeto e humildade em aprender novidades o tempo inteiro. Estou referindo a música "O que é, o qué?? que diz em uma de suas partes ...Viver
E não ter a vergonha...De ser feliz
Cantar e cantar e cantar...A beleza de ser
Um eterno aprendiz..."
            Pois, nesta segunda-feira, dia 12 de outubro, às 16h, na sala C, da Casa de Cultura Mário Quintana, o Zé Evandro e a turma do Clube do Pandeiro espera todos os interessados para celebrar o III PANDEIRAÇO. O idealizador, Zé Evandro do Pandeiro me disse o seguinte: "...Todos iremos de camisetas do clube que são lindas e muito marcantes, munidos de doces e salgados, pequenos pandeiros para as crianças e muita alegria no coração, transformando a sala C2 num imenso carrocel de alegrias..." Duvida?? Então caia dentro da função. Eu vou!! Estarei lá na função e depois, juntamente com todos do Clube do pandeiro vamos comemorar com a Banda da Saldanha seu aniversário. 
               TODOS JUNTOS AO SOM DO PANDEIRAÇO!

                               Edinho Silva

25 de set de 2015

Amigos são como músicas. Será verdade??



Prezados...
Encontrei este texto num baú de raridades que guardo para momentos de reflexão. O autor eu não conheço, mas vale a leitura atenta.
"Amigos são como músicas você já percebeu?"
 Eles entram na vida da gente e deixam sinais.
Como a sonoridade do vento ao final da tarde.
Como os "ataques" de cavacos e pandeiros presentes em cada clarão da manhã.
É a pessoa que pode estar a seu lado ou a quilômetros de distância e você vai
descobrir, olhando no disco do olhar ou ouvir as ondas sonoras que as melodias podem traduzir.
Procure escutar atentamente:
Amigos foram compostos para serem ouvidos,
sentidos, compreendidos, interpretados.
Amigos são pessoas como VOCÊ.
Amigo têm que fazer sucesso...
Mesmo que não estejam nas paradas;
Mesmo que não toquem no rádio..."


Duvidam disso?? Então convido a todos a visitar o Samba do Cachorro, amanhã, 26/09/2015, a partir das 16h, celebrar com uma animada roda de samba e muito amigos. Alto astral, cerveja gelada e música boa não faltará.
O Ciríaco, o Zé, o Paulinho do Banjo e toda a turma os esperam de braços abertos. E eu lanço um desafio: "O primeiro que chegar na roda de samba e cantar uma seqüência de 5 sambas do Mestre Marçal, direto" toma uma na minha conta. Duvido??
Vai treinando....
https://www.youtube.com/watch?v=A5z9ispbAzE

Eu vou para o samba do Cachorro...verdadeira mistura de eclipse com arco-iris...










 
 

                            Autor: Desconhecido

15 de set de 2015

Sambão Farroupilha na Banda da Saldanha- Sul, samba & swing - 4 edição




           Nos últimos tempos, de turbulências para todos os lados, medos e incertezas, necessitamos buscar alternativas para relaxar, conviver com os amigos, sambar, "bebericar" e dar espaço para novas alegrias. Uma delas acontecerá no próximo domingo, dia 20/09/2015, na "Arena Saldanha", o agitado e sambado espaço da Padre Cacique, bem pertinho do estádio Beira Rio e do Fernandão.
            Neste dia, sob o comando do produtor artístico Luis Fernando Silva, da Reversos Produções, que relança o SUL, SAMBA & SWING - edição 4, ao lado dos anfitriões Pedro Diogo e do Dioguinho representando a Banda da Saldanha a cidade sorriso vai sambar prá valer. A partir das 14h, os irmãos Medina & Cia(Porto Alegre) abrem a festa com muito swing. Logo a seguir, entra em campo, Willians do cavaco (Porto Alegre), dedilhando seu instrumento e tocando muito samba. Às 15h30min, o time que tá colocando a Cidade Baixa para sambar nos últimos tempos - Juliano Barcelos (Porto Alegre) e Banda. Logo depois, sobe no palco o Grupo N3 (Porto Alegre). Às 16h45min, chega o representante da fronteira do estado com seu balanço contagiante, Saulo Marques (Santana do Livramento). Logo depois, a cidade do Alegrete apresenta seu samba e seu swing com o grupo Nosso Estilo. Às 17h45min, direto de Bagé, do palco dos Zíngaros, chega na Saldanha o grupo DHAMBALLA. Representando a cidade portuária de Rio Grande, chega o Grupo SAMBA VOXX. Sem intervalo e nem parada chega o balanço do LUA CHEIA, com swing, metais, percussão e vocais com a cara do povo de Pelotas. Em seguida Os Arteiros (Porto Alegre). E o baile continua com o Swinga Brasil (Porto Alegre) e toda sua trajetória de balanço. Às 20h30min, sobe ao palco da Saldanha,  Matheus Santos (Porto Alegre). E a festança se encaminha para o final...Quando chega para o último bloco o swingueiro Kaubi Tavares (Porto Alegre). E dê-lhe swing no melhor estilo do balanço gaúcho.
            Então tira o pé do chão e te joga na Saldanha...Vem reencontrar teus amigos de Bagé, Pelotas, Rio Grande, Alegrete, Santana do Livramento com muita alegria, samba e swing do Sul.
Ingressos antecipados na Musisom, dos Andradas e no local. 
            Mas domingo farroupilha não é dia de churrasco?? E quem disse que na Banda da Saldanha não tem cerveja gelada e churrasqueira para teu assado??
            Confere lá...To te esperando. Eu vou!!! Como canta o Kaubi Tavares, no swing Nossos momentos..."agora é só deixar rolar..."!!
                                      
                      Edinho Silva


https://www.youtube.com/watch?v=l7vMVxGEofE

https://www.youtube.com/watch?v=JsNg9B_R9Q4

4 de set de 2015

Em tempos difíceis?? "...Papai do céu ajuda..."

(Foto: Susi Tesch)
 Foto: Susi Tesch -   http://www.unicos.cc/luiz-melodia-encanta-plateia-lotada-do-salao-de-atos-da-ufrgs/#.Ven1zstRHIV


"...Vamos plantar muito amor
Se não der certo muda
E na estante um Buda

O mundo está sem direção
Miséria, armadilha e arpões
Então beije, faça amor sem pudor
E na orelha arruda..." 

                                   Papai do céu ajuda - Luiz Melodia


                  Num dia pesado em Porto Alegre (ou seria Triste?) em tempos de manifestos para todos os lados, dancinhas descompromissadas na Feira do Agronegócio, transporte coletivo em chamas, trabalhadores públicos sendo maltrados com "migalhas" de salário (enquanto outros do mesmo patrão recebem aumentos salariais, o enérgico Jardim Botânico ameaçado de privatização, a Redenção e "sua cerca maldita", o consumo de drogas aumentando em todos os cantos da cidade, o medo nas ruas, filho batendo em mãe, namorado esquartejando namorada. Eta vida de cão.
                  Pois, nem tudo está perdido...quero acreditar!! Na noite deste mesmo dia, na companhia de um amigo, fã e ídolo, Rodrigo Bronquinha, fui ao Salão de Atos assistir o "negro gato Luiz Melodia" no Projeto da PROREXT - Unimúsica 2015 - IRREVERENTES. O espaço estava lotado de pessoas felizes e esperançosas para conferir os novos sucessos do carioca do morro do Estácio, que não gravava novidades há 13 anos. Com uma banda pulsante, sob o comando do guitarrista e parceiro de composições, Renato Piau que desceu do Piauí direto para Porto Alegre, foi possível conferir que a alegria, bom humor, charme, simpatia e irreverência do "Pérola Negra" continua em alta. Num show que durou um pouco mais de 60  minutos (o suficiente para nos recompormos do dia cinzento que marcou Porto Alegre), relembramos clássicos e vibramos com as novidades.
                  Reencontrei amigos e pessoas que não via há muito tempo. Pude ser acolhida pela minha filhota Karol, concentrada no seu ofício de trabalhar em eventos artísticos e, confesso, senti muita falta da minha cara metade Patrícia Venturela, para ouvirmos juntos, de mãos dadas, a estrela da noite cantar as canções que falam de amor de uma forma bem humorada e direta  no peito.
                   Aos idealizadores de projetos como este, que trazem cultura e arte, de forma gratuita e democrática a todos interessados, meus sinceros cumprimentos. À responsável pela concepção e idealização do Projeto, Ligia Petrucci desejo sinceramente que em todas oportunidades futuras em que forem "pensadas" novas ações musicais possa olhar em alguma direção para acolher vibrações e inspirações. Foi o "homi" que falou: "...o Papai do céu ajuda...". Meu carinho a todos envolvidos nas funções que ocorrem  no Salão de Atos.
 
Edinho Silva
 
 
 



27 de ago de 2015

De perto ninguém é normal...né, Paty Venturela??




              Hoje pela manhã quando rumava para minhas aulas ouvia no rádio um depoimento emocionado do renomado jornalista Ricardo Boechart sobre seu afastamento dos microfones da Band FM nos últimos dias. O relato era emocionado e tratava de um problema pessoal de grandes proporções: a razão de seu afastamento temporário.  
               Em meio a inúmeros agradecimentos do carinho dos ouvintes, o comunicador e jornalista comentava detalhadamente o surto depressivo agudo que o derrubou nas últimas semanas. "Pois bem, queridos amigos, minutos antes de começar o programa de rádio da quarta-feira retrasada eu simplesmente sofri um colapso, um apagão aqui no estúdio. Nada na minha cabeça fazia sentido. Nenhum texto era compreensível. Os pensamentos não fechavam e uma pressão insuportável dava a nítida sensação de que o peito ia explodir. Fiquei completamente desnorteado e achei melhor me refugiar no meu camarim esperar socorro médico..." Com a chegada de sua mulher, que o conduziu ao médico, onde o jornalista descreveu seus sintomas e recebeu como diagnóstico preliminar que apontou estar sofrendo uma depressão. Os sintomas clássicos do surto depressivo como o seu estado de pânico, insegurança e balbúrdia mental  também reforçavam a tese médica. Há muito tempo a Organização Mundial de Saúde já vem alertando com números assustadores o crescimento de uma doença moderna que apavora. Segundo Ricardo Boechart, "... Quem cai num quadro desses perde qualquer condição de continuar ativo, de pensar as coisas mais simples. A pessoa morre ficando viva...". Complementa seu comentário com a leitura de um texto sobre transtorno depressivo maior que diz o seguinte: "...A depressão é uma aflição tão severa que restringe a capacidade de uma pessoa funcionar plenamente, um abismo mental tão profundo que ninguém pode achar que vai se safar apenas endireitando os ombros ou pensando coisas positivas..." completa falando "...A depressão não escolhe vítimas por seu grau de instrução ou situação econômica. Castiga sem piedade e da mesma forma pobres e ricos, anônimos e famosos. Os médicos que estão me tratando disseram que eu estiquei a corda demais, que fiz mais coisas do que deveria fazer e em menos tempo do que seria razoável..." Momentos corajosos de desabafo e alerta do comunicador.
             Considerando que todas as pessoas do mundo mereceriam um copo de água e um prato de alimento, um abraço, um sorriso e algumas horas de terapia independente de sua classe social, raça ou credo, etnia, sexo ou paixão clubística aproveito para homenagear no dia de hoje - Dia do Psicólogo, minha mulher Patrícia Venturela, por todo seu envolvimento e aplicação nos estudos sobre o tema, na generosidade de compartilhar conhecimentos, no acolhimento aos necessitados, na percepção e sensibilidade ao lidar com problemas alheios.
              Parafraseando o Caetano Veloso que afirmou que "de perto ninguém é normal", ratifico que, de longe ou de qualquer distancia, considerando teu auto conhecimento e tua ânsia em buscar aprender TODOS OS DIAS as variações sobre o comportamento e a psiquê humana AFIRMO com tranquilidade. És uma baita psicóloga!! Aprendes bem direitinho as coisas do ROGERS, do Freud, do Skinner, Lacan, Jung, Melanie Klein e tantos outros.
Tenho dito!!!
 
Beijão
Edinho Silva 
 

Fonte: 
http://noticias.band.uol.com.br/cidades/noticia/100000768451/boechat-tive-um-surto-depressivo-agudo.html
 http://www.minutopsicologia.com.br/postagens/2015/05/08/colecao-apresenta-vida-e-obra-de-quatro-grandes-nomes-da-psicologia/
 
 
 



21 de ago de 2015

Mestre Dionisio - mais um convidado ilustre na lista do CETE 2015






                   Prosseguindo com as atrações nacionais, que agregados com os profissionais e estudiosos locais, o CETE apresenta mais um reconhecido nome da Cultura Brasileira para "esquentar" a tarde de compartilhamento de conhecimentos. Quem?? O simpático, generoso e Mestre em todos os sentidos, da arte e do bailado de Porta Estandarte, Mestre-Sala e Porta Bandeira MESTRE MANOEL DIONISIO - Campeoníssimo, presidente e fundador da primeira escola de formação de Mestres Salas e Porta Bandeiras do Brasil. Com uma história no Carnaval iniciada em 1955, no Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro. Na época bailarino do Balé Folclórico Mercedes Batista (1a. Bailarina Negra do Teatro Municipal do RJ). Um pouco desta história e muita informação sobre a marcante trajetória do moço que humildemente, conversa e fala de forma simpática sobre a evolução e os momentos inesquecíveis do Carnaval Carioca.
               Por que a letra maiúscula na identificação do nome do convidado?? Vem comigo ao encontro da turma do CETE e confere a razão. Literalmente, será uma tarde com letras maiúsculas.
Vamos??
 
Edinho Silva

Serviço:

11º encontro do curso de tema-enredo do CETE

Dia 22 de agosto –  sábado - das 14 às 18h
Sala João Neves da Fontoura (Plenarinho) - 3º andar do prédio da Assembleia Legislativa do RS (Praça Marechal Deodoro, 101 – Centro Histórico, Porto Alegre, RS).

Ingressos: R$ 10,00 para o público em geral. Sócios do CETE com a mensalidade em dia estão isentos.

Esquece a lavagem da roupa e te joga no Unimúsica - o irreverente Luiz Melodia






               Se o mês de agosto é considerado um período de azar e crenças do gênero evite cruzar sob escadas, quebrar espelhos dentro de casa, deixa o chinelo virado, etc. E cruzar com gato preto pode?? Pode sim...Espera chegar setembro e te delicia com o som e a obra do NEGRO GATO Luiz Melodia.
O concorrido e enérgico Projeto Unimúsica - IRREVERENTES apresenta mais um show que promete sacudir o Salão de Atos da UFRGS. Projeto Unimúsica traz concerto com Luiz Melodia.                      
              Após um longo período afastado dos estúdios (13 anos sem gravar músicas inéditas) o famoso embaixador do Morro do Estácio e  vencedor do Prêmio Música Popular Brasileira de 2015  (Melhor Cantor na categoria MPB pelo álbum Zerima) apresenta um pouco de sua irreverência, provocação e inquietude através de verdadeiras "Pérolas negras" inesquecíveis de todos os tempos. Celebrando a "Juventude transviada" da "Magrelinha" na companhia dos músicos Renato Piau (violão e guitarra), Humberto Araújo (saxofones e flauta), Rômulo Duarte (contrabaixo), Fernando Merlino (piano e teclados), Jeferson Cruz (trompete e flugelhorn) e Vitor Vieira (bateria). 
              Dentro da proposta do UNIMÚSICA 2015 - venha conversar com o Melodia e "deliciar-se" com seu show no dia seguinte. Então tá feito o convite "...Deixa a roupa para lavar num outro dia e passeie na praça, enquanto o lobo não vem...!
              Eu vou!! Vais ficar parado no sofá?? Como toda a programação cultural da UFRGS a festança é 0800...

Edinho Silva    
 
 
Serviço:
 
Entrevista aberta com Luiz Melodia
Data: 02 de setembro – quarta-feira
Horário: 20h
Local: Sala II do Salão de Atos da UFRGS
(Av. Paulo Gama, 110)
 
CONCERTO
Data: 03 de setembro – quinta-feira
Horário: 20h
Local: Salão de Atos da UFRGS
(Av. Paulo Gama, 110)
Retirada de senhas através da troca de 1kg de alimento não perecível por ingresso a partir de 31 de agosto, às 9h, pelo site www.difusaocultural.ufrgs.br ou das 9h às 18h, no mezanino do Salão de Atos da UFRGS.