29 de mar de 2011

Um banho para refrescar e um solzinho básico

          


         Carlito Trovão nos conta que, o Janjão, o eletricista e faz tudo de um clube de magnatas de Porto Alegre foi chamado às pressas para um conserto de urgência no quadro elétrico do ginásio. Eram 16h, e o moço, com sua enorme maleta, entrou apressado no clube, atalhando caminho pela área de piscinas. Bah!! Foi a pior decisão que tomou. Fazia muito calor e era um desfile de corpos, biquinis minúsculos, seios fartos, um festival de mulheres tomando sol. O Janjão perdeu o rumo, completamente, entre uma "salivada", olhares disfarçados diminiu o ritmo mas foi aos poucos elegendo o mais belo bumbum do lugar.
         Tem um dito popular que diz: "Saiu da linha, Deus castiga". Passando próximo à piscina o Janjão tropeçou numa cadeira de praia e caiu direto no meio da água. Era fio para um lado, alicate e chave de fenda para outro, fita isolante, estopa espalhada pela piscina. E o era pior. O danado não sabia nadar e precisou ser resgatado pelos salva-vidas de plantão. Nem precisou consertar o quadro elétrico, pois foi para o vestiário secar-se e passar direto na Secretaria  Administrativa.
          Naquele dia a temperatura estava muito quente realmente, mas o Janjão tinha que escolher um outro local para banhar-se. Quem sabe o Lami, Belém Novo, mas não o clube mais chique de Porto Alegre.  

Olha o troco, meu chapa!!!



Bentinho do tamborim andava com a vida um pouco amarrada. Nada dava certo. O chefe pegando no pé, a patroa adoentada, o filhote mal na escola, a filha mais velha cada vez mais rebelde, as dores nas costas incomodando. Tava brabo o negócio. Um colega da firma sugeriu uma visita a uma terreira lá na Zona Norte. com algum preto velho, juntamente com um bom passe. No local, segundo seu colega da firma havia uma falange de pretos véios muito bacana. O vô Simão, pai José e tia Maria eram os mais requisitados do lugar. Bentinho chegou na humilde casa e foi logo procurando um dos três. Não teve muita sorte, pois o único disponível era tio Antonio de Angola, pouco conhecido na casa. 
Diante da fase ruim, qualquer energia que viesse já estaria no lucro. Aproximou-se do tio Toninho, agachou-se, apresentando-se e abriu seu coração ao simpático velhinho. Em meio à conversa o preto velho pediu a Bentinho um "pito". O moço lamentou por não fumar e não ter um cigarro a oferecer à entidade. Olhou para o lado e avistou um menino que estava no local observando tudo. Bentinho  chamou o menino, pediu a gentileza de ir ao bar na esquina e comprar o tal "pito". Alcançou-lhe uma nota de R$20,00. Sentado num banquinho, tio Toninho nem levantava a cabeça. O menino deu alguns passos e voltou perguntando a Bentinho:"Tio, que marca eu compro?". Bentinho, olhou para o lado e percebeu que o tio Toninho sempre de cabeça baixa, não se importaria muito com nomes e marcas, afinal era uma entidade. Respondeu ao garoto "Meu amigo traga um cigarrinho modesto (e falou uma marca de quinta categoria)". O menino ouviu a orientação e se encaminhou ao bar. Deu alguns passos e ouviu um voz forte. " O guií, não esquece o tôco, hein"- falou com uma voz firme e séria o preto velho tio Toninho. Bentinho tomou um susto, mas conseguiu dominar a surpresa, despedindo-se da entidade, dizendo que voltaria em seguida. Conseguiu encontrar o garoto na rua. Alcançou-lhe algumas moedas e correu para a parada de ônibus. A caminho de casa ainda resmungava em tom alto. "Pode pará, se eu ofereço um trago para esse preto velho e mando buscar, ELE vai querer um Chivas com algum energético". Preto velho moderno? To fora. E voltou para casa com o objetivo de fazer uma novena à São Judas Tadeu. A Tianinha que me contou o causo jura que é tudo verdade. 

28 de mar de 2011

A Batucada do Armazém continua - Quem avisa é o Carlão das massas




Extra! Extra! Extra!

A Batucada do Armazém mudou de casa.
Em abril a função é no Seu Samba, na Joaquim Nabuco, 383 – na esquina da Travessa dos Venezianos – Cidade Baixa. Um lugar aconchegante com comida apetitosa, bebida gelada, atendimento de primeira e música de qualidade. Toda terça-feira.
Na nova etapa da Batucada será possível conferir a pesquisa qualificada do Volnei no mundo do samba, as novidades cariocas no instrumento e na voz do Roberto, os violões do Edimilson e do Dédo Sete Cordas, a cobiça memória musical do Gilmar e a performance de Carnaval  e avenida do Fábio Ananias.
Reuna os amigos, as companheiras, os familiares, o Obama, a Michelle e venha divertir-se conosco.

Agenda

Dia 05/04 – Estréia do Batucada  do Armazém -  especial e gravação de imagens publicitárias
Dia 12/04 – Exaltação à Beija-flor – aniversário do Roberto Nascimento
Dia 19/04 – Lançamento do cd Encontro de paz – de Rogério Sete Cordas
Dia 26/04 – Velhos carnavais,  novos  sambas -  aniversário do Volnei


Serviço:
Roda de samba cultural “Batucada do Armazém”
Local: Seu samba – rua Joaquim Nabuco, 383 – Cidade Baixa
Dia e horário: terça-feira, das 20h30min às 00h30min
Investimento cultural: R$7,00 (único)

Seguidores do armazemdoseubrasil.blogspot.com  são convidados  isentos  de  ingresso. Neste dia o tio João do Brasil e a Tianinha pagam. 


Edinho Silva