8 de dez de 2016

Samba na praça pública. Por que não??


       Posentão...

      No último dia 02 de dezembro de 2016, Dia Nacional do Samba, estivemos gravando a Roda de samba do Armazém do seu Brasil, na quadra dos Bambas da Orgia. Noite promissora com muitas atrações e gente bacana se divertindo.
       Além do samba entre amigos (Rogério Sete Cordas, Silvinho Xavier, Diovani de Oxalá, Naná Senna, Maria do Carmo, Nego Lom - Samba quente, Everton Rataeski, Renata Pires, Kleber Dorinho e Carlinhos Presidente) rolou uma entrevista para o Programa Nação da TVE - TV Educativa (em breve no ar para conferir).
        Na entrevista falamos de tudo um pouco: de Carnaval, de nostalgia, de gente, de samba de ontem e de hoje. Falamos ainda, na necessidade em ocupar espaços públicos com pessoas e muita cultura popular. Exatamente o que está previsto para o próximo dia 25/12, a partir das 17h acontecerá exatamente o que sonho há muito tempo. Samba ao ar livre. Em praça pública.
       Duvida disso?? Então reúne tua família e os amigos e te junta ao Puro Asthral e seus convidados para celebrar o Natal e trocar energias com muito samba legal.
            Vamo?? Eu vou...




Ricardinho - o primeiro bisneto do seu "Baixinho"




Posentão...

         Ontem, um pedaço de Porto Alegre parou...
         Era dia de final de campeonato de futebol - a febre nacional. O nosso querido Gremio Futebol Porto Alegrense disputaria a final contra a competente equipe do Atlético Mineiro, na Arena Tricolor. Jogo tenso. No primeiro jogo vencemos pelo placar de 3 x 1 e estávamos em situação favorável ao lado de nossa torcida que lotava o estádio e as ruas do Moinhos de Vento (na famosa avenida Goethe).
       Muitas famílias optaram em assistir a partida em casa, enquanto outros rumaram para Parcão. Optei em assistir a partida na companhia da Paty, comento pipocas e tomando "umas geladas". Tinha planejado um "churras" para reunir a família para torcermos coletivamente. Nosso "Gremião" não levantava uma taça importante há tanto tempo que precisávamos estar juntos para não correr riscos cardíacos. 
        A Karolzinha vestiu a camiseta tricolor mais emblemática da minha coleção e rumou com a mana "Paô" e um punhado de amigos e amigas. Aliás, a camiseta número 3, que já foi do zagueiro Luis Eduardo, nem minha é mais...Dos poucos bens patrimoniais que possuo os mais valorizados, certamente são os que simbolizam muita energia emocional.
         A camiseta original do Grêmio que a Kaká herdou é a do time principal que venceu a partida que o tricolor disputou com o Sport Recife, na primeira vez em que disputou a Copa do Brasil. Isto seria pouco?? Que nada. Foi também a última vez que estive no extinto Estádio Olímpico Monumental na companhia do "gremista MAIS LEGAL" que conheci. Estou falando do seu Edison, ou tio Baixinho como os de casa conheciam meu pai. 
          Se estivessem entre nós, estaria RADIANTE em saber que seu primeiro bisneto - o Ricardinho, da Poly e do Nelson, sorri diferente quando o Gremio entra em campo. Ficaria feliz ainda em saber que o "loiro", igualmente bem  humorado como ELE foi dormir muito tarde, FESTEJANDO como todos nós, o quinto título da Copa do Brasil.
         E se por acaso o Grêmio não vencer nos próximos 20 anos outra grande Competição?? Nem quero saber...E se o "outro" time for rebaixado?? Hum...talvez me interesse um pouco, afinal teremos partidas na cidade com equipes diferentes e jogos em dias alternados.
         O "biso" Baixinho adoraria saber que seu primeiro bisneto Ricardinho iria sacudir a mesma bandeira tricolor. TENHO CERTEZA...
 
      Edinho Silva
 
 
 

5 de dez de 2016

Dia Nacional do Samba e a entrevista para a emissora de televisão


            Posentão...

           Quando fui convidado para apresentar o Armazém do seu Brasil - uma espécie de Sarau Cultural, que mistura boas conversas, estórias individuais, amigos e muito samba bacana, em plena quadra de ensaios de Bambas da Orgia, uma das mais tradicionais Escolas de Samba de Porto Alegre senti um "frio na espinha". Achei que seria apenas este o desafio. Que nada!! O mais assustador estava por vir.
           Por intermédio de um amigo, Luis Fernando Silva, produtor artístico, fui apresentado à jornalista da TVE, Vera Cardozo - produtora do emblemático programa local intitulado "Nação". Depois de alguns contatos e a devida apresentação dos argumentos que expressavam a relevância das temáticas abordadas no blog Armazém do seu Brasil, ao tratarmos cultura popular, sambas, comportamentos, fatos históricos, entre outras coisas.  
           Numa etapa seguinte, busquei reunir amigos sambistas de Porto Alegre, de diferentes gerações, para ampliar a energia do encontro e fortalecer o compromisso de apresentar o programa e desta vez gravá-lo,sendo entrevistado pela equipe da TVE. Sinceramente, julguei que seria fácil. Que nada!! Passei o maior sufoco.
          Conforme o combinado, pontualmente, a equipe completa da TVE estava na quadra. As jornalistas Vera Cardozo (produtora do Programa) e  Fernanda Carvalho (apresentadora), na companhia dos técnicos cinegrafistas estavam no local para a execução do trabalho. Os meus convidados sambistas chegavam e iam sendo conduzidos ao espaço destinado para nossa locação de filmagem. 
           Em uma conversa preliminar, recebi algumas orientações técnicas em relação à pauta e aos assuntos a serem abordados. Confidenciei a meu fiel, escudeiro, o Rogério Pereira, o moço do violão sete cordas, que estava tenso e abalado com a responsabilidade de falar para milhares de telespectadores sobre Samba. Embora um tema que me agrada muito, estava inseguro. A apresentadora Fernanda me disse o seguinte: "Edinho, fique tranquilo. Fale naturalmente. Responda do teu jeito, apenas as duas perguntas que te farei." Respondi prontamente: "Quais as perguntas que farás!". "Coisas simples - Quando e como começou o samba em Porto Alegre e como o samba acontece atualmente!!". Questões simples, que dariam dezenas de teses de Mestrado e Doutorado. O Rogério me olhou de forma ironica como se perguntasse: "Tomou, papudo...sempre és tu que perguntas. Hoje serás sabatinado!!"  
          Quando o responsável pela gravação falou em voz alta: "Um dois, três gravandooooo!". A apresentadora Fernanda abriu a fala com um cordial boa noite e lascou a pergunta sobre o samba de ontem ...e de hoje, ouvi distante o samba na voz da Dalva de Oliveira "...Meu mundo caiu...". Minha nossa, quase não conseguia respirar de tão nervoso.
          Finalizei minha fala sem ter mencionado a nova composição de samba em nosso estado. A genialidade do nego Izolino Nascimento, as composições do Paulinho Bom Ambiente, do saudoso Paulo Sitó, do Zeca Oliveira, do Gustavo Martins, do Alexandre Rodrigues, do Carlinhos Presidente, do Fábio Canali, dos sambas enredos e de todo o trabalho desenvolvido e encabeçado pela ComporRS e os parceiros do Tubino. Esqueci de referir o Wilson Ney. Pode isso, produção!!
          Não falei sobre outra coisa que me inquieta. A fórmula utilizada pelos proprietários dos bares que "acolhem" o samba na Cidade. Alegam que o mais importante é o bar e não os músicos, por esta razão pagam pouco. Os músicos, por sua vez, entendem que são fundamentais para o sucesso dos bares. Quem perde com a tal disputa!! Todos nós. E, principalmente, o SAMBA.
           Deixei escapar a oportunidade de falar de forma mais contundente sobre o descaso do Poder Público em relação aos movimentos que envolvam a Cultura Popular. Por que Porto Alegre não promove e apóia eventos como rodas de samba nos bairros ou em espaços públicos, por exemplo!! E o Governo Estadual que nada faz para garantir a preservação de ARTE E CULTURA no RS!! Nem rádio e nem emissora de televisão para difundir a Cultura de nosso Estado. Pode isso!! Claro que não.
             Não falei também o que penso sobre a adesão dos portoalegrenses aos eventos ligados ao samba quando promovidos a nível nacional. Há alguns anos uma marca de produtos de higiene pessoal trouxe à Porto Alegre, 4 sambistas (Diogo Nogueira, Martinho da Vila, Roberta Sá e Alcione)  para homenagear o samba e arrastou milhares de pessoas ao Anfiteatro Por do Sol. Na semana seguinte, muitas das pessoas que assistiram o espetáculo "engrossavam" o coro junto às autoridades para coibir duas ou tres rodas de samba, populares em bairros diferentes. Discussão para outros tantos programas. 
           Finalizando, deixo meu registro, minha gratidão e agradecimento ao pessoal da TVE e aos meus amigos sambistas que compareceram para abrilhantar e ENERGIZAR com seus instrumentos e seus cantos, mais uma edição do Armazém do seu Brasil. 
          Que o SAMBA possa completar mais 100 anos e que a TV Educativa-FM Cultura possa adentrar nossas casas por igual período.
          OBRIGADO, Manoel Jeronimo (nego Lom do Samba Quente), Rogério Pereira (Dedo Sete Cordas), Maria do Carmo (uma das Dandaras do samba da Cidade), Silvinho Xavier (cavaquinista dos bons), o "Dorinho"" Kleber Dornelles, a jovem e talentosa Renata Pires, o "incendiário do bem" Everton (Fogo na caixa d´agua), o irreverente sambista do povo, Carlinhos Presidente, a Naná Senna e o Diovani, acompanhados por suas ferramentas percussivas. Toda esta aura de gente legal impediu  que algo pior ocorresse comigo, diante de meu estado emocional. Juro é a pura verdade.

                 Edinho Silva   

Em tempo: "O show tem que continuar...", né mesmo!!