24 de out de 2015

Quer se movimentar com ritmos brasileiros?? Vem para a função da FIEP/RS




           O que podemos fazer para movimentar o esqueleto com ritmos, graça e energia?? Uma aula de dança com os amigos e ousados instrutores. Errei? Sim. Faltou anunciar a assinatura e a grife do evento. Sob o comando dos professores Fernando Saraiva (Delegado adjunto da FIEP) e Everton Deiques (Delegado regional da FIEP) e a coordenação do evento do professor MIKE (Coordenador de evento da FIEP) o Clube Caixeiros Viajantes irá ferver nos próximo dia 14/11, a partir das 9h.
          Do Batucalê do professor José Anchieta ao gingado do Sacode Brasil, do professor Jacaré os espaços acolherão as mais energéticas manifestações do fitness e dos ritmos do Estado, de diferentes instrutores. A certeza é única: Ninguém fica parado!
           Não perde tempo, a procura tá crescendo e as vagas são limitadas...quem correr vai se "mexer com ritmos".  Eu garanto...  
            Eu e a galera da FIEP esperamos todos, vocês!!
                
                Edinho Silva
 
 

22 de out de 2015

"O criador tá olhando, hein??"



O Criador deve estar cheio de tarefas nos últimos dias. O mundão tá doido. Preferi escrever sobre algo que está a nosso alcance e com isso aliviar o "homi" de algumas manobras. Nós que, mesmo indiretamente, trabalhamos com música, cultura e arte, desejamos dar visibilidade a "produtos, criações e manifestações" e, acreditem, ralamos muito para tornar real o sonho de muita gente.
Faço isso de graça?? Claro que não, pois afinal considero TRABALHO qualquer movimento, idéia ou Projeto de negócios. Enquanto isso não chega, em alguns momentos existe a possibilidade do escambo cultural - a velha troca entre parceiros para que ao final todos LUCREM DE FORMA IGUAL.
Outro dia, conversava com meu parceiro, Edgar Santos, da Revista Enfoque Musical de São Paulo sobre estes assuntos. O artista quer e precisa brilhar. O fã precisa ter acesso aos novos trabalhos e resgate aos antigos sucessos. O dono do bar e o promotor da balada precisa arrecadar e manter sua casa e sua festa atraente. E quem trabalha, diminuindo estas distâncias, Onde fica?? Minimamente, o músico e/ou banda precisa e deve fazer sua parte junto ao seu público, ajudar a divulgar seu trabalho.
Há algumas semanas fui prestigiar o bom balanço do Kaubi Tavares, um dos meus swingueiros preferidos de Porto Alegre, que na companhia do Senzala DF sacudiram um "pico do Portinho". Era noite de swing na agenda lá de casa. Como sou um sujeito anônimo, transito com desenvoltura nos locais e, dessa forma, fui com a "patroa" numa outra casa, na mesma noite, conferir o Swinga Brasil.  balanço dos dois grupos, entre outros da Cidade são marcas do balanço de Porto Alegre. NÃO OUVI NINGUÉM FALAR AO MICROFONE SOBRE A COLETÂNEA. Confesso ter ficado desapontado!!! Parece que o que escrevi, não é real..."Santo de casa, não faz milagre>>>"
Quando meu amigo e parceiro Luis Fernando Silva, produtor artístico e idealizador da Coletânea Sul, swing e samba, que reúne nomes que marcaram época a novos talentos do cenário sambista gaúcho não tive dúvidas. Ao receber a lista de nomes que estariam garantidos no trabalho não tive dúvidas. Escrever sobre a obra e o trabalho do Dequinho do Swinga, do Juliano Barcelos, do Matheus Santos e todos os envolvidos na Coletânea é bem fácil. Talento puro.
O resultado do trabalho com a parceria do Paulinho Bom Ambiente que assinou a arte da imagem da Coletânea e do disco (e de todo material de divulgação), da parte técnica do Batata, que abriu as portas de seu estúdio e contribuiu para a escalação dos trabalhos musicais apresentados (onde temos o Grupo Lua Cheia, por exemplo...Bah!!), mais todo "o corre" do Fernando acionando seus diferentes contatos foi muito satisfatório produzir o texto da contracapa do disco.  Faltava um local para a festa de lançamento e divulgação da Coletânea? O Diogão e o Dioguinho Fonseca, abriram as portas da Banda da Saldanha para no próximo dia 08 de novembro, a partir das 12h, com amigos, cerveja gelada, churrasco e muito swing e samba dos quatro cantos do RS.
Mas afinal, o que falta para o Projeto alcançar o sucesso esperado e oportunizar mais apresentações nas agendas dos envolvidos?? SINCERAMENTE, falta um pouquinho de empenho dos "diretamente" envolvidos. Enquanto alguns planejam montar palquinho na esquina democrática, bancam camisetas e banners, organizam excursões e ações entre amigos, outros sequer comentam com seus familiares a novidade da Coletânea estar nas ruas. E os recados nos microfones ou venda ao final das apresentações nas agitadas noites de Porto Alegre?? NEM PENSAR.
Moçada!! Artista famoso não pode descer a Rua da Praia sem ser conhecido ou até mesmo ir no Mercado Público. Nós TODOS (me incluo), ainda habitamos a van do ANONIMATO. Mesmo trabalhando com música há 15 ou 30 anos, ninguém nos conhece além de meia dúzia de bares e salões. Ninguém nos pede foto, nem autógrafo. SE NÃO ACREDITARMOS NAS NOSSAS COISAS E nas nossas relações de amizade para compartilhar NOSSA COLETÂNEA, ficaremos envolvidos com apresentações e NUNCA COM SHOW. O que tem uma baita diferença.
Bora lá, divulgar nosso trabalho. #DEUStávendo

Abração,

Edinho Silva

21 de out de 2015

Dia 21/10 - Dia Internacional da Morena, né Karol Venturela??







          Quando o cantor consagrado quando canta seu hit de sucesso referindo uma tal Carolina. Eu não erro. Acerto na mosca. Nos primeiros acordes do violão do cara já associo "...uma menina bem difícil de esquecer, maravilha, feminina, meu docinho de pavê...Sensual e inteligente...". Parece coisa de pai babão, não?? Tenham certeza. É pura paixão na direção das mulheres que preenchem minha vida.
            Pois, a morena sonhadora, inquieta, amante da leitura (SQN), criativa, indecisa, de pouca paciência, ousada e afetiva está completando 22 aninhos hoje (21/10). Uma postagem apenas seria pouco para descrever nossa conexão (que tenho certeza não é desta vida!). Quem conhece o clássico livro de Umberto Eco - O nome da Rosa, sabe do que estou falando. A história de nossa relação de amizade e afeto poderia ser retratada numa obra de inúmeras páginas, com idiomas diferentes e linguagens diversas. Mas escrever algumas linhas me fazem chorar em público num ambiente de trabalho cercado de pessoas estranhas, em outro Estado, imaginem descrever as inúmeras passagens de nossas vidas??
             A mesma "pessoinha" que afastou com seu pezinho, ainda criança, meu corpo numa cama improvisada e dormir de conchinha como velhos conhecidos mantém a parceria para dividir uma cerveja quando o nosso time do coração joga, ou compartilhar um saco de pipoca vendo um filme brasileiro no sofá da nossa sala. E até mesmo divergir e, de forma contundente, defender seus posicionamentos e pontos de vista. Aceitando o "secreto desafio" de refletir sobre a vida, o comportamento humano e suas inquietudes. Ao fim, descubro que somos pessoas diferentes e ao mesmo tempo, PESSOAS COMPLETAMENTE IGUAIS. Da bagunça dos armários à criatividade nas expressões e produções.
            Se um dia, diante do sambão da Velha Guarda da Portela, abraçada disse no meu ouvido "...ouvir o seu Monarco e seus amigos, sem a tua companhia não teria graça, meu véio!!". Lembra da vez que nosso amigo Gandolfi, nos convidou para "beber umas e comer com o Jorge Vercilo depois de termos conversado com o cantor?? Na oportunidade, me respondeste que o artista era EU. A janta era dos caras e tu querias compartilhar uma pizza legal com o TEU ARTISTA LEGAL. Precisa mais?? Precisa. Sim...preciso parar de escrever e de chorar...
       Beijo, TE AMO e daqui há pouco estaremos juntos para comemorar com um chopp bem gelado.
       Felicidades, Morena.
















https://www.youtube.com/watch?v=VwBIVWX8YtQ