10 de jun de 2015

Sul, samba e swing - 22 anos de garantia de arte e balanço



                  Quando o Luiz Carlos da Vila, o Sombrinha e o Arlindo Cruz reuniram-se para compor o samba de grife "O show tem que continuar" certamente vivia um momento de energia e encanto ao saudar os bons ritmos, uma boa dança, um bom gingado, os amigos e a arte mais genuína do Brasil.
                 Lembram do samba?? "...Se os duetos não se encontram mais...E os solos perderam emoção...Se acabou o gás...Pra cantar o mais simples refrão
Se a gente nota, que uma só nota
Já nos esgota ...e o show perde a razão!!
E prosseguem os sambistas "...Mas iremos achar o tom
Um acorde com um lindo som...
E fazer com que fique bom...
Outra vez, o nosso cantar..."
               Pois, o produtor musical e artístico Luis Fernando Silva, representante da Produtora REVERSOS, após 22 anos rumou ao encontro da quarta edição do SUL, SAMBA & SWING - provocando os sambistas, suingueiros, partideiros, os bons de baile e todos que estavam saudosos e nostálgicos para juntos preparar uma reedição do cd que animou muitos bailes nas 3 primeiras edições. Quando o produtor e radialista Julio Farias idealizou a primeira coletânea não imaginava o "barulhinho bom" que isso faria. Na época, seu parceiro no Projeto Luiz Fernando já apostava muito na função. A mistura e as 3 primeiras edições ficaram pra lá de legal. Agora, novos nomes, uma galera do passado, gente da Capital misturado com os novos nomes do Interior do Estado e a mesma energia será responsável de relembrar velhos e consagrados músicos da Capital e lançar novos nomes do Interior do Estado.
               Nesta oportunidade, o lançamento será em cd e no final do segundo semestre está sendo planejado um dvd que deverá ser gravado ao vivo num formato estúdio e numa proposta de baile como os bons anos 90 na cena swingueira e sambista de Porto Alegre.
              A função promete muita coisa bacana. Um lançamento no espaço mais sambista da Cidade e agora reconhecido nacionalmente - a BANDA DA SALDANHA, no dia 20/09/2015, a partir das 12h, com muito samba, churrasco, cerveja gelada, amigos e tudo que o espaço oferece. Além é claro do melhor do samba e do swing gaúcho.
Uma perguntinha básica: E se eu quiser reunir os amigos na churrasqueira de bermuda para curtir o pessoal da roda de samba?? Pode. E se eu quiser lembrar os tempos dos Bailes da Teresa vestir a roupa bacana e levar a "patroa" para dançar ao som do Kaubi, do Senzala e do Swinga Brasil aquele balanço gostoso?? Pode também. O que a produção do evento não irá aceitar é ficares de fora do lançamento do novo projeto.
Então o que restou se não mais um trecho do antológico samba citado no inicio da postagem "...E a gente vai ser feliz...Olha nós outra vez no ar
O show tem que continuar..."

Eu vou e com ingresso do primeiro lote...

Edinho Silva

Link: http://www.vagalume.com.br/luiz-carlos-da-vila/o-show-tem-que-continuar.html#ixzz3cbVNvMXC


8 de jun de 2015

Exposição AGÔ - Mais um pedaço da negritude de Porto Alegre no interior da Academia

Foto de Instituto Cadê Zumbi?
 
 
                   Após participar de um painel cultural intitulado Conversações Afirmativas 2015, uma roda de conversas promovida pelo DEDs - Departamento de Educação e Desenvolvimento Social, da PROREXT/UFRGS que trazia como pano de fundo as Rodas de Capoeira, em Porto Alegre e no Estado cruzei o pátio da Universidade e fui prestigiar a Exposição Agô - presença negra em Porto Alegre: uma trajetória de resistência.
                    A atividade dos bate papos foi muito enriquecedora, pois contou com a presença de técnicos da UFRGS interessados na temática, representantes do IPHAN, mestres e contramestres capoeiristas, jovens acadêmicos e muito conhecimento empírico (e de raiz) solto pelo ar. Muito bacana. O desfecho, porém não poderia ser melhor. A visitação e o prestigio à exposição promovida por acadêmicos de Museologia da UFRGS que buscaram através "...da percepção da invisibilidade, do silêncio, de muitas ausências e do quão pouco se sabe sobre a participação do povo negro na vida e no desenvolvimento da capital gaúcha Porto Alegre..." um pouco das histórias, dos registros, das imagens e das energias que o tema assegura.
                   Foi a partir da constituição de um Comitê científico comunitário que foi embasado toda a pesquisa, de modo a acrescer aos aspectos teóricos/metodológicos, as vivências do povo negro que fizeram um pouco da história de Porto Alegre. Em minha visita ao Museu Felizardo Furtado em outra oportunidade já havia me aproximado um pouco da temática.
Segundo os curadores que me acolheram na visita a proposta buscava mergulhar numa história negada, a partir das pessoas que a fazem no seu dia a dia e com o apoio do Coletivo Catarse foi possível agregar aos recursos disponibilizados pela Universidade e estruturar a montagem de AGÔ, que vai até o dia 28 de junho de 2015.
                  Eu RECOMENDO MUITO!!
                Onde fica??  Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Mezanino -                                             Avenida Osvaldo Aranha, 277 - Campus Centro - Porto Alegre/RS.
 
                                            Edinho Silva
 
Em tempo:
No dia 11, próxima quinta feira, das 15h as 17h, o amigo do Armazém Guto Africanamente ministrará uma aula aberta e gratuita de capoeira angola da Exposição "Agô!  Bóra lá fazer uns movimentos e trocar umas ideias.
 

O pessoal do CETE está nos convidando: Vamos discutir GESTÃO??



            Sempre é muito positivo compartilhar conhecimentos, discutir conceitos, reflexões sobre práticas e teorias, construção coletiva, ações de comando, administração e poder. SEMPRE É MUITO SAUDÁVEL trocar experiências em qualquer área de atuação. Seria possível discutir "Gestão no Carnaval" ou "Gestão na Cultura Popular" como um todo?? Lógico que sim.
E o seleto grupo de estudiosos e a coordenação do CETE - Centro de Estudos de Temas Enredos, representados na pessoa do pesquisador e temista presidente Sérgio Peixoto oportuniza o segundo módulo de estudos com este tema a ser debatido - a Gestão no Carnaval. O painelista convidado é Gustavo Giró, presidente da Escola de Samba Embaixadores do  Ritmo, atual vice campeã do Carnaval de Porto Alegre. O encontro promete ser efervescente.
             Segundo o dicionário Aurélio a Gestão pode ser definida como o ato de gerir ou gerência e aponta a palavra administração como sinônimo. Alguns autores, no entanto, entendem que administração possui uma conotação diferente do vocábulo gestão já que esta, mais recentemente, passou a significar a interferência direta e ampla dos gestores nos sistemas e procedimentos empresariais ou coletivos. Neste sentido, gestão poderia ser definida como o gerenciamento do conjunto de ações e estratégias nas organizações, de maneira holística, visando atingir seus objetivos.  Pois o formato de Gestão na Embaixadores é assim desde 2010 (vide no final da postagem) 
              Particularmente, não aprovo muito o conceito defendido pelo presidente convidado. Explico: "Na minha modesta opinião, a cultura popular tem o viés principal no fato de priorizar uma construção coletiva a partir da arte, da criatividade e da ousadia. Vibro com aquelas agremiações que, mantém seus integrantes e simpatizantes envolvidos o ano inteiro com a construção de seus Carnavais. Refiro-me a incorporar o espírito de irmandade, de construção conjunta, de carinho com as costureiras da escola, com os primeiros requebros da pequena cabrocha, com a feijoada das alas, com as oficinas dos ritmistas, enfim com o cotidiano vivido entre o temista, o figurinista, o profissional do barracão, o integrante, seus conselheiros e a Diretoria da Escola. Adquirir fantasias já utilizadas em outros desfiles não só inibe a criatividade dos artistas, como distancia-se do objeto maior que é a "função diária" de uma Escola de Samba. Ao contrário de comprar os adereços, aviamentos e materiais e participar do agitado mundo do pré-Carnaval quando o frio na espinha está presente (será que a fantasia ficará pronta?? E o chapéu?? O calçado??) encomendar pela internet alegorias e fantasias de Carnavais passados para adaptar o meu enredo (será que é meu??) não acho muito saudável." Coisas para a tarde quente, do CETE.
          Quer participar do aprendizado?? Te organiza e te inscreve. RECOMENDO com letras maiúsculas, assim como o filme "30" - sobre a vida e obra do Joãozinho Trinta para o sábado à noite.
             Eu vou!! Vai pipocar??
 
Edinho Silva
 
Serviço:
           As inscrições para o Módulo 2 do curso de tema enredo podem ser feitas na hora do evento, no sábado, na Assembleia, ou antecipadamente pelo e-mail cete.temaenredo@gmail.com.
O curso terá a duração de 12 encontros, sempre aos sábados, às 14 horas, de 13 de junho a 29 de agosto de 2015 e o valor para toda qualificação é de 80 reais (não-sócios do Cete) ou 40 reais para os sócios do CETE. Podendo ser depositado na Caixa Econômica Federal Agência 0443 – C/C 2983-5 – Operação 003 ou pago na hora da abertura do evento.
 
fonte:

Samba legal de Porto Alegre - Vida longa ao Puro Asthral





                   Há cinco anos o amigo e parceiro Juliano Barcelos, sambista, compositor e educador físico encorajou-se pegou seu tamborim, o surdo e o pandeiro reuniu os amigos mais próximos e montou o grupo Puro Asthral. A proposta original era reunir os amigos e "batucar" os sambas que marcaram todos os tempos. A iniciativa ganhou o nome de "Bebendo na fonte" e relembrava grandes nomes como Noel Rosa, Cartola, Lupi, Adoniran, Ivone Lara, Candeia, Clementina, Donga e  outros tantos. A função não parava por ai. Era de samba de ontem  misturado com pérolas mais atuais. Era Serginho Meriti, Carlos Caetano, Almir Guineto, Chiquinho dos Santos, Marquinhos China, Arlindo Cruz, Mauro Diniz, Marquinhos PQD, Paulinho da Viola, os contemporâneos Rodrigo Maranhão, Toninho Geraes, Moisés Marques e muito mais. E o  samba do Sul não entrava no repertório do Puro?? Claro que sim. Além do produção autoral do Juliano Barcelos no repertório rola ainda muito Wilson Ney, Bedeu, Nego Isolino, Paulinho Bom Ambiente, Paulo Sitó e muita coisa legal.              Recentemente, o compositor Zeca Oliveira foi interpretado pelo sambista e Grupo num clipe que circula pelas redes sociais com muito sucesso pelas redes sociais.
                 Das rodas de samba de terreiro aos lugares chiques da Calçada da Fama em Porto Alegre, o Grupo circulou pela noite da Cidade Baixa, desembarcou no Vale dos Sinos e cruzou a ponte do Rio Guaiba na direção das cidades de Pelotas e Rio Grande.
                Quer conhecer um pouco mais das histórias e ousadias do sobrinho do sambista famoso e inesquecível Carlos Alberto Barcelos - o ROXO?? Compareça na Feijoada de aniversário do Puro Asthral no dia 21/06/2015 - domingo, a partir das 12h, no Boteco Tchê, na Cidade Baixa. É pouco?? Então acesse
https://www.youtube.com/watch?v=_46DIvmw5Cc